PUBLICIDADE

Topo

Equilíbrio

Cuidar da mente para uma vida mais harmônica


Equilíbrio

Um em cada três alunos em todo o mundo foi vítima de bullying

coscaron/iStock
Imagem: coscaron/iStock

Da ONU News

05/11/2020 16h24

De acordo com a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, um em cada três alunos em todo o mundo foi vítima de bullying, com consequências arrasadoras no desempenho escolar, na saúde física e mental.

Para chamar atenção para este problema e buscar soluções, a agência das Nações Unidas criou o Dia Internacional contra a Violência e o Bullying na Escola, que é celebrado pela primeira vez este 5 de novembro.

Impacto

Segundo a Unesco, a violência escolar seja ela física ou verbal,  priva milhões de jovens do direito fundamental à educação. Uma das formas mais comuns deste tipo de agressão é o bullying.  

De acordo com a Unesco, todas as crianças podem ser vítimas de bullying, mas evidências mostram que as crianças que são percebidas como "diferentes" de alguma forma correm mais risco.  

O psicólogo clínico Nuno Henriques, baseado em Lisboa, Portugal, falou sobre as dificuldades que alguns alunos estrangeiros podem enfrentar.

"Sinto que pode existir, fundamentalmente, quando há diferença de língua. Migrantes dos Palop, não tem praticamente nenhum tipo de dificuldade, a maioria deles ate são muito bem recebidos e integrados. Já se vierem de outros países que tenham uma língua muito diferente e não dominarem o inglês, ai acrescente algum problema. Mas, inevitavelmente, o problema que pode balancear isto é o estatuto ou condições socioeconômicas desses migrantes."

Pandemia

"O bullying digital permite gravar as conversas, gravar as mensagens, fazer coisas horríveis que, para todos os efeitos, são provas de uma fragilidade de uma das pessoas, quase sempre a vítima e que depois é alavancado e utilizado pelos opressores para terem domínio sobre ela."

O fechamento das escolas devido à pandemia de Covid-19 levou os alunos a ficarem mais o tempo na frente do computador, aumentando a exposição ao cyberbullying, uma forma de bullying psicológico ou assédio que acontece online. 
Aquelas que sofrem bullying com frequência têm maior probabilidade de se sentirem estranhas na escola e de quererem abandonar os estudos. Elas também têm desempenho acadêmico mais baixo. 

O bullying também está associado a taxas mais altas de sentimento de solidão e suicídio, uso de tabaco, álcool e drogas. 

Equilíbrio