PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Idosa sofre 50 picadas de abelhas: é perigoso, mesmo para não alérgicos?

Getty Images
Imagem: Getty Images

Do VivaBem*, em São Paulo

17/10/2020 16h15

Uma mulher de 76 anos foi socorrida na sexta-feira (16), após sofrer um ataque de abelhas, em Guabiruba, município de Santa Catarina. A estimativa é que a idosa tenha levado entre 50 e 100 picadas. Ela foi levada ao hospital e não precisou ficar internada.

Em pessoas alérgicas, uma picada ou mordida de inseto (formiga, vespa, abelha) induz uma hipersensibilidade no organismo inteiro a ponto de colocar a vida da pessoa em perigo. Em segundos, ou minutos, pode ocorrer queda da pressão, taquicardia, inchaços da cabeça aos pés, obstrução das vias aéreas, náuseas e suores intensos. Esses sintomas caracterizam o choque anafilático (anafilaxia), que é mortal. Quem não se lembra de Thomas (Macaulay Culkin), no filme Meu Primeiro Amor (1991), que morre após um ataque de abelhas?

Mas a situação não é perigosa apenas para os alérgicos. Se forem muitas picadas, qualquer um corre risco de vida. "A hipersensibilidade é uma condição de pessoas alérgicas em crise, mas mesmo a não alérgicas, se forem picadas 20, 30 vezes por insetos, como abelhas, podem ter problemas sérios e morrer, por conta da quantidade de veneno injetado", alerta Edimilson Migowski, infectologista da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro).

Na presença desses sintomas, ou se a vítima tem histórico de risco, deve ser encaminhada para um hospital com urgência. Caso haja ferrão preso à pele, também é preciso removê-lo para que resquícios de toxinas não sejam instilados.

meu primeiro amor - Reprodução/YouTube - Reprodução/YouTube
Meu Primeiro Amor (1991) traumatizou muita gente quando Thomas (Macaulay Culkin) morre após um ataque de abelhas
Imagem: Reprodução/YouTube

Abelhas, vespas e formigas podem matar

Problemas com insetos são mais comuns em regiões tropicais e durante verão e primavera, pois a combinação umidade, calor e flores favorece sua multiplicação. Não há um ranking para calcular os mais peçonhentos, mas sabe-se que no Brasil as abelhas estão entre os que mais geram notificações de acidentes. Segundo dados do Ministério da Saúde divulgados em 2019, elas são responsáveis por cerca 18 mil casos anuais no país, total que também pode incluir acidentes com vespas, já que muitas vítimas têm dificuldade em diferenciar os dois insetos.

Em comum, abelhas e vespas atacam em bandos, principalmente quando são ameaçadas. Jéssica de Araújo Isaias Miller, doutoranda do Programa Multicêntrico em Bioquímica e Biologia Molecular da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) explica que as vespas, embora parecidas com as abelhas, não morrem quando ferroam, sendo capazes de picar mais de uma vez e até borrifar veneno nos olhos da vítima.

"As vespas Parachartergus fraternus tem características únicas. São pretas, grandes, fazem um zumbido bem forte e podem matar, seja pela reação alérgica em pessoas sensíveis ou pelo ataque de muitos espécimes. Também podem levar a danos em órgãos vitais, como rins e fígado", complementa.

Formigas também fazem parte do mesmo grupo desses insetos (himenópteros) e suas picadas são tão perigosas quanto. "Todos desenvolvem algum grau de reação, como irritativa e de inflamação local, porém menos de 5% da população é realmente alérgica", afirma Brianna Nicoletti, médica especialista em alergia e imunologia do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.

*Com informações de matéria apurada por Marcelo Testoni e publicada no dia 08/11/19.

Saúde