PUBLICIDADE

Topo

Após mulher ter câncer de mama, ele decidiu focar na saúde e perdeu 73 kg

Reprodução do Instagram @duplodesafio
Imagem: Reprodução do Instagram @duplodesafio

Bárbara Therrie

Colaboração para o VivaBem

15/10/2020 04h00

Com uma alimentação que tinha pizza e refrigerante no café da manhã, Rodrigo Babrikowski, 37, nunca se preocupou muito com o peso e chegou a 162 kg. A inspiração para mudar só veio quando sua esposa, Kelly, descobriu um câncer de mama e encarou a doença de forma muito positiva. Quando ela terminou o tratamento, os dois decidiram melhorar hábitos e cuidar do corpo. A seguir, o analista de TI conta como emagreceu:

"Eu cresci com um conceito de alimentação errado e levei isso durante grande parte da minha vida. Na infância, comia muita besteira, mas nunca fui uma criança gorda porque praticava esportes regularmente. Na adolescência, de roupa eu parecia ser magro, mas já tinha muita barriga. Mas foi a partir dos 20 anos, quando meus hábitos alimentares pioraram e desenvolvi compulsão alimentar, que perdi o controle da balança.

Eu tomava quatro litros de refrigerante por dia e só comia fast-food. Pedia pizza no jantar e o que sobrava já era também meu café da manhã. Aliás, algumas vezes eu até cheguei a comer lanche do McDonald's logo cedo, na primeira refeição do dia. No almoço não era muito diferente e meu cardápio tinha esfirra, beirute e bolacha recheada com Nutella, de sobremesa. Comer era um vício.

Como emagreci - Rodrigo - Reprodução do Instagram @duplodesafio - Reprodução do Instagram @duplodesafio
Imagem: Reprodução do Instagram @duplodesafio

Com 35 anos, eu estava com 140 kg e sabia que era obeso, mas não tinha noção do quanto. Só comecei a me dar conta quando as pessoas passaram a falar claramente que eu estava gordo. Teve um dia que uma tia comentou: "Nossa, Rodrigo, como você está diferente, engordou demais'.

Eu tentei todos os tipos de dietas possíveis para emagrecer: do ovo, low carb, paleolítica, cetogênica. Também segui cardápios de nutricionistas, fiz tratamento com endócrinos, tomei remédio para emagrecer e tentei fazer um monde de exercício aeróbico. Em todos as tentativas, o resultado foi o mesmo: emagrecia e depois engordava o dobro.

Logo, a obesidade começou a trazer problemas maiores do que os comentários da minha tia... Os exames mostravam que minha saúde estava ruim. Tinha gordura no fígado, estava com síndrome metabólica, diabetes e colesterol alto. Eu evitava sair de casa, pois as pessoas me olhavam como uma atração turística e, para ter ideia, eu mal cabia na cadeira de um restaurante. Como não encontrava solução para meu problema, entrei em depressão.

Como emagreci - Rodrigo - Reprodução do Instagram @duplodesafio - Reprodução do Instagram @duplodesafio
Imagem: Reprodução do Instagram @duplodesafio

Em novembro de 2018, minha esposa Kelly foi diagnosticada com câncer de mama, aos 37 anos de idade. Foi um choque absurdo. Sempre tive pavor de câncer e, pior do que você ter a doença, é a pessoa que você ama ter e você a ver sofrendo. O tratamento da Kelly durou dez meses. Eu me dediquei a cuidar dela nesse período e combinamos que, quando recebesse alta, adotaríamos um estilo de vida mais saudável.

A forma como Kelly reagiu ao tratamento, sempre mostrando muita força, determinação positividade e bom humor foi uma grande inspiração. Eu vi que o meu problema era muito pequeno comparado ao dela e que eu seria capaz de emagrecer.

Aos 36 anos e com 162 kg, meu primeiro passo foi mudar a alimentação. Como gosto muito de cinema, séries e sou fã de super-heróis, comecei a pesquisar que tipo de treino e dieta os atores seguiam para se preparar para esses papéis. Descobri que a maioria deles seguia um plano alimentar que tinha como objetivo controlar os macronutrientes (gordura, proteína e carboidrato) consumidos.

Como emagreci - Rodrigo - Reprodução do Instagram @duplodesafio - Reprodução do Instagram @duplodesafio
Imagem: Reprodução do Instagram @duplodesafio

Com uma dieta menos restritiva e mais flexível, cortei lanches, pizzas e refrigerante e passei a regular a quantidade de nutrientes que eu que ingeria. Com base na minha taxa metabólica basal, no começo, eu só podia ingerir 2.000 calorias por dia. Às vezes, eu fazia jejum intermitente de 16 horas. Jantava às 20h e almoçava no dia seguinte, às 12h. Quando não fazia o jejum, meu café da manhã variava entre ovos mexidos, meia fatia de pão, panqueca e whey protein. No almoço e jantar, o cardápio tinha sempre uma porção de proteína (patinho moído ou frango), pão francês, requeijão light, brócolis, arroz, batata inglesa, batata-doce e salada.

Geralmente, eu comia frutas depois do treino e tomava de três a quatro litros e meio de água por dia.

Como eu tinha muito vergonha de ir para academia por causa do meu tamanho, passei a treinar em casa. Comprei halteres, anilhas e barras e comecei a fazer musculação em casa. Além disso, praticava 20 a 30 minutos de exercício aeróbico por dia, no aparelho elíptico que também comprei.

Nos dois primeiros meses, perdi 20 kg. À medida que emagreci e ganhei mais resistência, fui trocando o treino e fazendo ajustes na dieta. Comecei a pesquisar sobre cada alimento e aprendi a cozinhar. Eu me apaixonei tanto por essa área que ano que vem vou fazer faculdade de nutrição e quero me especializar em nutrição esportiva.

Como Emagreci - Rodrigo com esposa - Reprodução do Instagram @duplodesafio - Reprodução do Instagram @duplodesafio
Imagem: Reprodução do Instagram @duplodesafio

Ao total, eliminei 73 kg em 11 meses, estou com 89 kg. A Kelly seguiu a mesma dieta e treino e secou 20 kg, está com 74 kg. Hoje, pensando pelo lado positivo, eu e a minha esposa entendemos que o câncer que ela teve nos deu start na mudança de hábitos e nos fez ter uma vida melhor, com muito mais saúde e bem-estar. Foi uma dupla jornada de superação que nos possibilitou uma segunda chance juntos."

O casal mostra seu dia a dia no Instagram @duplodesafio.