PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Quem usa maconha precisa de mais anestésicos durante cirurgias

Além de mais anestésicos durante a operação, usuários de maconha precisaram de 60% mais analgésicos para aliviar a dor após cirurgia na perna - Istock
Além de mais anestésicos durante a operação, usuários de maconha precisaram de 60% mais analgésicos para aliviar a dor após cirurgia na perna Imagem: Istock

Do VivaBem

10/10/2020 16h48

Por provocar uma sensação de relaxamento, algumas pessoas podem acreditar que fumar maconha ajuda a aliviar diferentes tipos de dores. Mas um estudo preliminar realizado por cientistas da Universidade do Colorado (EUA) mostra que não é bem assim.

Os resultados da pesquisa, apresentada esta semana em uma reunião da Sociedade Americana de Anestesiologistas (ASA), apontam que usuários recreativos de maconha precisaram de uma maior quantidade do anestésico sevoflurano durante cirurgias para recuperar uma perna quebrada. Além disso, eles também necessitaram de 60% mais analgésicos para aliviar a dor após a operação, em comparação a quem não consome a droga.

Segundo Ian Holmen, anestesiologista residente do Campus Médico Anschutz da Universidade do Colorado em Aurora e principal autor do estudo, a conclusão não é diferente de outros trabalhos científicos sobre o assunto. Já David Dickerson, vice-presidente do Comitê de Medicina da Dor da ASA, diz que os resultados da pesquisa não geram grandes preocupações para os usuários da droga, apenas reforçam a importância de quem fuma maconha ser sincero com seus médicos sobre o uso da substância, para que os especialistas possam ajustar a dose dos anestésicos de forma precisa antes de uma cirurgia.

"A última coisa que queremos fazer é subdosar um medicamento para uma pessoa que tem maior necessidade dele. Quanto mais informações tivermos, melhor poderemos reagir e monitorar o paciente para mantê-lo seguro durante um procedimento."

No entanto, a necessidade maior do anestésico sevoflurano pode gerar complicações durante cirurgias para usuários de maconha com problemas no coração ou nos pulmões. Isso acontece porque, segundo Holmen, o medicamento tem um efeito dose-dependente muito claro na pressão arterial. "Quanto mais sevoflurano um paciente recebe na sala de cirurgia, mais cai a sua pressão arterial. Se a pessoa tiver problemas cardíacos ou pulmonares ao entrar na sala de cirurgia, pode ser perigoso."

Como o estudo foi feito

  • Os pesquisadores revisaram registros de 118 pacientes que passaram por cirurgia devido a uma fratura na tíbia. Destes, 30 relataram usar maconha;
  • Os cientistas identificaram que os usuários de maconha não só precisaram de mais anestésico de sevoflurano inalado durante a operação, como também de doses mais altas de analgésicos de hidromorfona, em comparação aos pacientes que não usavam a droga.
  • Eles também relataram níveis mais elevados de dor pós-cirurgia, que exigiam doses maiores de analgésicos opióides para aliviar o desconforto.

Dickerson acredita que esses efeitos possam ocorrer porque talvez a maconha altere a maneira como os analgésicos e anestésicos são processados pelo corpo. Como a cannabis e os medicamentos são metabolizados no fígado, pode ser que a exposição à droga gere mudanças na função metabólica do órgão.

Outra hipótese é que a maconha altere a maneira como o sistema nervoso de uma pessoa responde à dor e aos analgésicos. Porém, os cientistas ressaltam que com o estudo não é impossível identificar como a maconha afeta a anestesia e novas pesquisas devem ser feitas para encontrar essa resposta.

Saúde