PUBLICIDADE

Topo

Conexão VivaBem

Movimento


Thiago Thomé conta que corre em jejum; especialista diz se há benefícios

Do VivaBem, em São Paulo

10/08/2020 15h00

No Conexão VivaBem desta segunda-feira (10), o ator e cantor Thiago Thomé disse que prefere correr em jejum e tomar café apenas depois do exercício.

"Eu tomo um café com óleo de coco e canela e vou correr. Depois, quando volto da corrida, que eu tomo café. O café da minha dieta são dois ovos com bacon e queijo", disse.

O professor de educação física Marcio Atalla disse que fazer exercício em jejum é uma decisão individual, porque os ganhos não são muito notáveis. "Quando você treina em jejum, recruta de 5% a 8% mais de gordura como fonte de energia. Mas o que parece ser bastante, quando você olha em um todo, não é tão relevante. Vamos supor que seu treino queimou 300 calorias. Normalmente, 90% das calorias queimadas seriam provenientes da gordura. Mas em jejum esse número sobe para 95%".

Atalla disse que cada grama de gordura tem nove calorias. Isso quer dizer que, em um treino em jejum, foram queimadas de 35 calorias a 60 calorias a mais, se for um treino muito intenso. "Uma quantidade pequena, se for levado em conta que, para perder um quilo de gordura é preciso queimar 7500 calorias", disse ele. O especialista contou, entretanto, que o treino em jejum, se for feito repetidamente, como um ritual, talvez exista realmente uma vantagem, uma "cereja do bolo" para pessoas que estão buscando performance máxima, casos em que 5% de queima faz toda a diferença.

"Mas eu acho que o principal para você adotar um treino em jejum ou não é saber como você se sente com essa tática". O próprio Atalla disse que fica fraco e tem um desempenho abaixo do normal se não se alimentar. "Mas tem pessoas que conseguem, vou dar o exemplo aqui do Fábio Porchat. Ele é um cara que janta tarde e se sente superdisposto de manhã sem comer nada. Então, ele consegue um bom rendimento. Essa parte é muito individual.