PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Pesquisa mostra que 3 a cada 4 entrevistados sentem dor frequentemente

iStock
Imagem: iStock

Bruna Alves

Colaboração VivaBem

21/07/2020 15h30

Um levantamento realizado pelo Ibope e encomendado pela Bayer mostra que 3 a cada 4 entrevistados declararam sentir algum tipo de dor frequentemente, com dores nas costas e dor de cabeça figurando no topo da lista (38% e 31%, respectivamente).

Entre as mulheres, a proporção é ainda maior, com a dor presente no cotidiano de 82% das entrevistadas. Como consequência, cerca de 1/4 dos entrevistados toma algum analgésico, pelo menos, uma vez por semana.

Os dados foram obtidos através de uma pesquisa nacional feito de forma online entre 25 de junho e 7 de julho. Ela contou com 2.000 entrevistados, entre homens e mulheres a partir dos 16 anos.

Autocuidado

O levantamento também aponta que 84% dos brasileiros buscam ter uma rotina de autocuidado, mas apenas 1/3 consegue.

Para a maioria dos entrevistados, ter autocuidado significa alimentação saudável, praticar atividades físicas, ir ao médico e fazer exames de rotina.

No entanto, de todos esses fatores acima mencionados, 87% acreditam que a alimentação saudável ainda é o mais relevante para manter a saúde em dia. Além disso, 81% dos entrevistados revelaram que gostariam de poder se alimentar melhor.

Por outro lado, hábitos como cuidar do corpo, da higiene, evitar o tabagismo e o consumo excessivo de bebidas alcoólicas não foi mencionado pela maioria dos participantes.

O levantamento também mostrou que, atualmente, o brasileiro entende que o cuidado com o próprio corpo e com a saúde estimula o sistema imunológico (31%), diminui a probabilidade de ficar doente (25%) e ainda promove uma sensação de bem-estar (21%).

Impactos da pandemia

Sobre as mudanças na rotina trazidas pela pandemia do novo coronavírus, os entrevistas consideram um impacto positivo na saúde, resultando em mais preocupação com a imunidade e a higiene pessoal.

De acordo com os dados, 25% dos entrevistados afirmaram que passaram a cuidar mais da saúde, 14% iniciaram a utilização de suplementos vitamínicos para reforçar o sistema imunológico e prevenir doenças, e 13% passaram a utilizar mais produtos de higiene pessoal.

Em contrapartida, os dados também revelaram os impactos negativos do isolamento social e do fechamento de parques e academias por todo o país. Ao todo, 25% dos entrevistados diminuíram ou pararam completamente de praticar atividades físicas nos últimos meses.

O levantamento

O principal objetivo da pesquisa era entender como os brasileiros estão cuidando de si mesmos, o que significa autocuidado para eles e quais foram os impactos da pandemia na rotina.

Embora a pesquisa tenha sido realizada em todas as regiões do país, a Sudeste foi a mais contemplada, respondendo por 50% dos participantes. Além disso, a classe C também liderou o ranking, com 65% dos entrevistados.

Saúde