PUBLICIDADE

Topo

Conexão VivaBem

Movimento


Fabio Porchat: "Fazer exercício é um inferno, bom é comer e transar"

Do VivaBem, em São Paulo

13/07/2020 15h00

Apesar de necessária, a prática de atividade física não é fácil e muito menos prazerosa. Pelo menos é o que diz Fábio Porchat no programa Conexão VivaBem desta segunda-feira (13). Mesmo adepto da corrida, o ator, apresentador e humorista confessa que sempre tem que lutar contra si mesmo para conseguir se exercitar.

"Correr é o exercício que eu acho menos chato, porque eu acho chatérrimo exercício. Bom é comer, viajar, dormir, transar, ficar sem fazer nada. Mas, de todos os exercícios físicos que tem, correr é o que eu mais gosto", diz. Porchat conta também que não corre com som, apenas sozinho, até bater suas metas.

Vontade de fazer xixi

Gostar, no entanto, não é sinônimo de facilidade. Ele diz que a luta com sua mente é constante para não desistir. "No momento em que decido que vou correr, já começo a lutar contra mim mesmo. Minha cabeça já começa a falar não vai, não precisa. Aí tenho vontade de fazer xixi, é muito impressionante, é psicológico", diz.

Quando já está na rua para treinar, a batalha continua: "Primeiro vou dar uma andada inicial, para dar uma aquecida, ai quando eu começo a correr, imediatamente meu corpo fala 'vamos parar, isso é uma inutilidade'. Parece uma coisa de maluco, de doença mesmo, eu tenho que ficar me convencendo". Ele diz que estabelece metas pequenas, de quilômetro em quilômetro ou até objetos, como a lixeira da rua, para conseguir completar o percurso. "Até ter uma hora que faço 7 km, deu o tempo, posso voltar para casa. É uma luta, um inferno, uma dificuldade".

Como largar o sofá

De acordo com Gustavo Magliocca, médico do esporte, o exercício realmente não é algo gostoso. "É uma sobrecarga, não tem como as pessoas sentirem prazer durante a execução, só é gostoso depois", diz. Após a atividade o corpo libera neurotransmissores do prazer, que geram bem-estar. "Mas durante é difícil mesmo. O tempo inteiro você procura uma desculpa para acabar o exercício", diz.

Porchat compartilha que ajuda se livrar logo do problema. "Se você for deixando, não vai. Vai chegar 19h, vai dar soninho, a gente arranja desculpa. Vai, faz logo, tira da frente, porque já não vira mais uma dificuldade".

O apresentador ainda sugere que não é necessário uma quantidade fixa de atividades, o que pode facilitar a adesão ao exercício. "Às vezes parece que se eu não correr uma meia maratona, não vai adiantar nada, quando na verdade o importante é a periodicidade. É claro que você não pode só fazer cinco minutos todo dia, que você estará se enganando. Mas se você consegue fazer em dois dias meia hora, em outro 10 minutos, outro 15, pronto".