PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Médicos relatam ereção de mais de 4h em paciente infectado pelo coronavírus

iStock
Imagem: iStock

Do VivaBem, em São Paulo

04/07/2020 10h17

A infecção pelo novo coronavírus causa uma série de sintomas além de tosse, febre, cansaço e falta de ar —os mais comuns. Médicos de todo o mundo vêm notando um aumento de coágulos nos pacientes. A formação de coágulos e tromboses tem sido cada vez mais frequente, especialmente naqueles que evoluem para a forma grave da covid-19.

Um caso reportado no American Journal of Emergency Medicine mostra que a doença vai além e traz o relato de um paciente francês de 62 anos que sofreu com priapismo —uma ereção dolorosa que durou mais de quatro horas. A ereção foi causada por sangue preso no pênis, que estava cheio de coágulos quando foi drenado pelos médicos.

Quando os coágulos bloqueiam artérias ou veias, podem desencadear infarto ou AVC fatais, mas os médicos acreditam que essa seja a primeira vez que o priapismo foi visto como um efeito colateral do coronavírus. O paciente passou duas semanas em um respirador mecânico.

No caso descrito, o homem sofreu priapismo de baixo fluxo —quando o sangue fica preso nas câmaras de ereção— em oposição ao priapismo de alto fluxo, causado por uma lesão (entenda melhor a diferença). O paciente estava sedado e, por isso, não conseguiu responder a perguntas sobre quanta dor estava sofrendo, mas sabe-se que a condição se torna extremamente dolorosa.

Uma bolsa de gelo foi colocada na área peniana. Após quatro horas de ereção persistente, os médicos sugaram o sangue do pênis usando uma agulha. Foi aí que descobriram "coágulos sanguíneos escuros", que eles disseram ser o resultado de uma trombose induzida pelo coronavírus.

Os médicos chegaram a essa conclusão porque nenhuma outra causa alternativa de priapismo foi encontrada e o vírus já é conhecido por causar complicações na coagulação do sangue.

Eles escreveram: "A apresentação clínica e laboratorial em nosso paciente sugere fortemente priapismo relacionado à infecção por Sars-CoV-2."

Qualquer forma de priapismo pode causar danos a longo prazo e, portanto, precisa ser tratada o mais rápido possível. Além de drenar o sangue do pênis, os médicos injetaram medicamentos no paciente para normalizar seu sistema nervoso e também para prevenir a coagulação do sangue.

Segundo o relatório, ele não teve mais qualquer episódio de priapismo após deixar o hospital.

Coágulos x coronavírus

Os médicos já sabem que, normalmente, quem entra para uma internação em UTI tem mais chance de desenvolver coágulos. No entanto, o que os especialistas têm encontrado em pacientes do novo coronavírus é diferente.

Uma das possibilidades levantadas para o problema é que o novo coronavírus utiliza receptores chamados de ACE2 para entrar no corpo humano. Esses receptores são geralmente encontrados no endotélio —uma espécie de tecido que reveste vasos sanguíneos (como artérias e veias) e a parte interna do coração e que tem influência no controle da coagulação do sangue.

Uma outra possibilidade que vem sendo bastante debatida é a questão da chamada "tempestade de citocinas". Estas proteínas são conhecidas por enviarem mensagens às células e modularem o ataque organizado pelo sistema imunológico ao vírus invasor do organismo, criando uma condição inflamatória no corpo. Uma das respostas ao processo inflamatório é justamente o aumento da coagulação no sangue.

Saúde