PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

SP vai abrir bares, restaurantes e salões; como reduzir chance de contágio?

Priscila Carvalho

Do VivaBem, em São Paulo*

26/06/2020 17h24Atualizada em 04/07/2020 17h03

O governo de São Paulo anunciou no dia 26 de junho a autorização para reabertura de bares, restaurantes e salões de beleza na capital paulista. Neste sábado (4), o prefeito da cidade, Bruno Covas (PSDB), assinou o protocolo de saúde necessário para a reabertura.

A partir de segunda-feira (6), esses comércios poderão funcionar com horário regulado e capacidade reduzida. Com a medida assinada, os bares, restaurantes e similares podem funcionar por seis horas diárias, com no máximo 40% da capacidade, uso obrigatório de máscaras e devem fechar às 17h (de Brasília).

A atualização anunciada pelo governo permite que os estabelecimentos que tenham ambientes arejados possam oferecer a opção de consumo no local. Já os salões de beleza podem reabrir com ocupação máxima de 40% da capacidade e funcionamento de seis horas diárias.

Mas será que mesmo com todas essas medidas é possível evitar a contaminação pelo novo coronavírus nestes locais?

Atenção aos cuidados

De acordo com Karen Mirna Loro Morejon, médica infectologista e membro da SBI (Sociedade Brasileira de Infectologia), o que nos ajuda a controlar novos casos da doença é o distanciamento social de forma correta e a higiene das mãos. "Esses são os pilares essenciais para esses setores que vão abrir", afirma.

No caso de bares e restaurantes, é necessário ter muito cuidado entre o cliente e colaborador, priorizando sempre o uso de máscaras, além de disponibilizar álcool gel para todos.

A especialista explica ainda que esses lugares terão que ter mais cuidado com a limpeza e reforçar a higiene em talheres, pratos, copos, teclados, mouses, bancada e outros materiais de uso comum por clientes e funcionários.

E no cabeleireiro?

Nos salões, a regra é a mesma. Além do uso de máscaras, é necessário evitar o compartilhamento dos mesmos materiais de trabalho como secadores, escovas e outros itens para evitar qualquer tipo de contaminação.

Segundo o decreto do governo de São Paulo, salões e barbearias terão que tomar medidas para evitar aglomerações. Por isso é importante espaçar os atendimentos para reduzir o número de clientes no mesmo ambiente ao mesmo tempo.

Mesmo com a autorização de reabertura, ainda pode ser cedo e arriscado a ida aos salões. Ainda que o profissional e o cliente usem máscaras, não é garantia, segundo Igor Marinho, infectologista do HC da FMUSP (Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo) e coordenador médico do hospital AACD.

"Em locais com muita umidade, onde as pessoas lavam o cabelo e até fazem escova progressiva, o acessório pode perder a capacidade de filtração e não proteger mais o indivíduo", reforça.

Lugares fechados

Com a volta de alguns estabelecimentos, os funcionários também poderão ficar mais expostos ao vírus em locais fechados, como vestiários, copas, cozinhas e outros locais.

Por isso é fundamental a higienização correta e lavagem das mãos ou o uso de álcool gel. "Os locais vão ter que repensar as aglomerações dentro dos locais de trabalho", finaliza Morejon.

Antes de sair de casa para ir a um restaurante, bar ou salão, é importante checar com o estabelecimento como estão sendo seguidas as regras de saúde e higiene exigidas pelas autoridades.

*Colaborou Gabriela Ingrid e com informações de reportagem publicada em 20/04/2020.

Saúde