PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Hipertensos têm duas vezes mais chances de morrer por covid-19, diz estudo

iStock
Imagem: iStock

Do VivaBem, em São Paulo

06/06/2020 13h55

Um estudo divulgado pelo periódico Eupean Heart Journal mostrou que pessoas que sofrem com pressão alta têm duas vezes mais chances de morrer por coronavírus.

O estudo, desenvolvido por pesquisadores chineses, teve a participação de 2866 pacientes tratados em Wuhan, onde os primeiros casos do coronavírus foram notificados.

Segundo os autores, apenas 30% deles tinham pressão alta. No estudo, um dos pesquisadores afirmou que logo depois que começaram a tratar pacientes com covid-19 no início de fevereiro, metade dos pacientes que morreram apresentavam pressão alta, uma porcentagem muito maior em comparação àqueles com apenas sintomas leves da doença.

Na amostragem, os pesquisadores descobriram que 4% dos pacientes com pressão alta morreram, em comparação com 1,1% daqueles que tinham pressão normal.

Mas o que mais chamou atenção dos autores é que depois de algumas mudanças e ajustes no estudo com esses pacientes, resultou em um risco dobrado de morte para participantes com pressão alta. Além disso, 7,9% dos pacientes que pararam de tomar os medicamentos para pressão alta morreram.

Para entender melhor essa relação, os cientistas decidiram investigar um conjunto de registros médicos de mais de 2300 pacientes para verificar se os remédios tomados pelos hipertensos impactavam de alguma maneira nesse risco. A maior preocupação era com os inibidores ECA-2 e BRA, que usavam um mecanismo semelhante ao caminho usado pelo coronavírus para entrar nas células.

Mas os cientistas não encontraram evidências reais sobre isso. "Os resultados foram na direção oposta. Com uma tendência a favor dos inibidores da ECA e dos BRA. Então, sugerimos que os pacientes não devem interromper seu tratamento de hipertensão habitual, a menos que seja instruído pelo médico", escreveu um dos autores no estudo.

A equipe ressaltou ainda que os pacientes com pressão alta devem ficar mais atentos e percebam que correm um risco maior de morrer por covid-19.

Saúde