PUBLICIDADE

Topo

#ProjetoVivaBem

#ProjetoVivaBem: "Aprendi a controlar melhor quanto comer e perdi 2,2 kg"

Carine Wallauer
Imagem: Carine Wallauer

Priscila Carvalho

Do VivaBem, em São Paulo

20/05/2020 04h00

Durante esta semana, os participantes do #ProjetoVivaBem - 3 meses para entrar em forma estão contando o que aprenderam com o desafio. Dan Sperandio já revelou que parou de beber e fumar e Bruna Souza que aprendeu a controlar melhora a vontade de comer doces.

Nesta quarta-feira (19), chegou a minha vez e divido no relato abaixo quais foram os principais aprendizados dessa jornada.

Projeto 23 - Carine Wallauer - Carine Wallauer
Imagem: Carine Wallauer

Priscila Carvalho, repórter de VivaBem
Idade 29 anos
Peso inicial 64,1 kg
Peso final 61,9 kg

"No início do ano, eu estava há bastante sem praticar atividade física regularmente. Fui voltando aos poucos e, quando o projeto começou (em fevereiro), estava malhando havia algumas semanas. Por mais difícil que seja o funcional, seguir os exercícios nunca foi um problema. Para mim, a parte mais complicada foi manter a dieta e não cometer deslizes.

Os extras (refeições livres que tínhamos na semana) eram a parte mais complicada, para dizer a verdade, e eu acabava exagerando um pouco e comendo além do limite. Por isso, sempre me esforçava para seguir o cardápio elaborado pela nutricionista Suzana Bonumá.

Em algumas reuniões com os amigos, lembro que todo mundo estava lá comendo um hambúrguer e tomando cerveja, vinho e eu sempre escolhia ou um ou outro.

Projeto 28 - Carine Wallauer - Carine Wallauer
Imagem: Carine Wallauer

Nas consultas, a nutricionista sempre dizia que os extras eram para ser usados separadamente e nunca consumidos em uma mesma refeição. Por isso na maioria das vezes deixava para beber vinho na sexta e comer pizza no sábado, por exemplo.

Não vou mentir que, mesmo antes da quarentena, dava vontade de comer coisas diferentes, quebrar a dieta e largar tudo. Uma vez no almoço peguei um pedaço de lasanha de quatro queijos e matei o desejo que sentia há dias de comer massa. Foi o suficiente também. Peguei um pedaço pequeno, comi e fiquei saciada.

Mesmo com os altos e baixos da pandemia e quebras de dieta em alguns dias, pude manter os hábitos alimentares, principalmente no café da manhã. Até hoje como direito nas primeiras refeições e tento não queimar todos os extras que tenho.

Projeto 25 - Carine Wallauer - Carine Wallauer
Imagem: Carine Wallauer

Eu aprendi muito durante esse processo, porque nem imaginava quantas coisas eu poderia me esforçar para mudar. Mesmo sendo magra, eu tinha um alto índice de gordura corporal e no meio do projeto consegui reduzir esse percentual em 5% —por causa da pandemia, não consegui fazer uma avaliação para saber o resultado final. Na balança, perdi cerca de 2 kg, o que me deixou bem feliz com o resultado.

Mas o que eu achei mais legal é que realmente criei uma relação saudável e de responsabilidade com a comida. Sempre penso se realmente preciso comer aquilo ou se será só por gula. 'Se estou cheia, por que comer mais e me sentir mal depois'? Acho que isso foi o que eu mais aprendi e, com certeza, vou levar adiante."

#ProjetoVivaBem