PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Covid-19: Casos graves são mais mortais entre homens e obesos, diz estudo

30.mar.2020 - De avental de plástico, enfermeira colhe amostra para teste de coronavírus em Chessington, no Reino Unido  - Dan Kitwood/Getty Images
30.mar.2020 - De avental de plástico, enfermeira colhe amostra para teste de coronavírus em Chessington, no Reino Unido Imagem: Dan Kitwood/Getty Images

De VivaBem, em São Paulo

30/04/2020 13h47

Uma nova pesquisa divulgada ontem pelo Imperial College, de Londres, apontou que homens e pessoas obesas têm menos chances de sobreviver a diagnósticos graves da covid-19.

De acordo com o Departamento de Saúde e Assistência Social britânico, a covid-19 pode ser mais grave em pessoas idosas e com doenças crônicas do coração, pulmão e rins, sistema imunológico enfraquecido, diabetes e alguns tipos de câncer. No entanto, pouco se sabe sobre como o vírus explora a idade, sexo e outras condições de saúde subjacentes.

O estudo acompanhou os casos de 16.749 pacientes diagnosticados com a covid-19 no Reino Unido e envolveu pesquisadores de três universidades.

"Depois dos problemas médicos que agravam o estado de saúde do paciente, ser homem ou obeso (com IMC acima de 30) é um fator significativo associado à morte em hospitais do Reino Unido, uma característica não vista na China, onde se pensa que menos pessoas são obesas", dizem os pesquisadores.

O estudo não identificou as razões pelas quais as pessoas obesas vivenciam mais casos graves da covid-19 e morrem mais do que outros grupos. No entanto, os pesquisadores acreditam que uma das causas é a capacidade reduzida da função pulmonar e uma maior inflamação no tecido adiposo.

O professor Peter Openshaw, do Instituto Nacional do Coração e Pulmão da Imperial, classificou o estudo como "bastante surpreendente". "Ele destaca várias questões cruciais para as quais pesquisadores, profissionais de saúde, público e pacientes buscam respostas. A pesquisa fornece uma imagem excepcional da doença e dos fatores de risco e pode embasar uma enorme variedade de pesquisas", avalia Openshaw.

Os resultados do estudo foram compartilhados com o governo do Reino Unido e a Organização Mundial da Saúde (OMS) e estão sendo comparados com dados de outros países.

O número de mortes por covid-19 no Reino Unido aumentou para 26.097 nesta quarta-feira, após o governo ter começado a incluir óbitos em residências na soma, o que leva o país ao terceiro lugar entre os que mais registraram mortes causadas pela doença, atrás apenas de Estados Unidos, com 58.529 mortos, e Itália, com 27.682, embora os países utilizem métodos diferentes para a contagem.

Coronavírus liga alerta pelo mundo

Saúde