PUBLICIDADE

Topo

Qual é o Remédio

Um guia dos principais medicamentos que você usa


Qual é o Remédio

Losartana alonga a vida ao controlar pressão alta e prevenir infarto e AVC

iStock
Imagem: iStock

Cristina Almeida

Colaboração para VivaBem

28/04/2020 04h00

Resumo da notícia

  • A losartana é a primeira linha de tratamento da pressão alta (hipertensão)
  • De uso contínuo, é considerada segura e bem tolerada para a maioria das pessoas
  • Previne AVC, infarto, além de problemas nos rins em pessoas com diabetes e proteinúria
  • Os efeitos colaterais mais comuns são tontura, dor de cabeça e náuseas, mas eles podem desaparecer com o tempo

Aliada das pessoas que têm pressão alta (hipertensão), a losartana pode ser utilizada no tratamento da insuficiência cardíaca (enfraquecimento do coração).

O que é a losartana?

Trata-se de um anti-hipertensivo classificado como Bloqueador dos Receptores da Angiotensina II (BRAs), isso porque ele é capaz de reduzir a pressão arterial, impedindo a constrição das artérias e facilitando a circulação de sangue no seu corpo. É também conhecida como losartana potássica.

Em quais situações a losartana pode ser usada?

O fármaco é considerado a primeira linha de tratamento da hipertensão, principalmente em suas primeiras fases, insuficiência cardíaca, mas pode também ser indicado para a proteção dos rins no diabetes tipo 2 e proteinúria (perda de proteína por meio da urina). A explicação é de Nathália Christino Diniz Silva, consultora farmacêutica do CRF-SP (Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo).

Entenda como ela funciona

A losartana tem um mecanismo de ação que bloqueia o receptor de uma substância endógena que eleva a pressão: a Angiotensina II.

Ela é produzida pelo organismo para manter o equilíbrio orgânico. Quando a sua produção aumenta, o que pode acontecer durante o processo natural do envelhecimento, a hipertensão se instala.

Conheça as apresentações disponíveis

Esse medicamento deve ser consumido sob prescrição médica, especialmente porque suas doses devem ser personalizadas.

O medicamento de referência, cujo princípio ativo é a losartana, é o Cozaar®. O Corus® é outro exemplo. A medicação pode ser encontrada na forma de comprimidos revestidos, que terão as seguintes apresentações: 25mg, 50mg e 100mg.

A dose máxima diária é de 100mg/dia, e o remédio já começa a fazer efeito de 1 a 4 horas depois de seu consumo. Após alguns meses, seu médico deverá monitorar seu estado geral, além da sua resposta ao medicamento, podendo readequar a dose inicial.

Mas lembre-se: nenhum medicamento é 100% seguro. Por isso, é importante que você faça o uso racional desse remédio, ou seja, utilize-o de forma apropriada, na dose certa e pelo período definido pelo seu médico.

Evite a automedicação, o uso indevido desse remédio pode causar danos graves à sua saúde. Caso decida parar de tomar a medicação, fale antes com seu médico.

Vou ter de usá-la para o resto da vida?

Sim. Este medicamento é de uso contínuo, ou seja, deverá ser usado por toda a vida.

A depender da gravidade do seu caso, as doses poderão ser aumentadas, combinadas com outros fármacos, e a medicação poderá até ser substituída para melhor controlar a sua pressão ao longo dos anos.

Saiba que o devido controle da pressão alonga a sua vida. O uso dessa medicação previne o infarto e o AVC.

Quais são as vantagens de seu uso?

Na opinião dos especialistas consultados, entre as maiores vantagens da losartana destaca-se o fato de seu mecanismo de ação ser mais direto e, portanto, ela tende a causar menos efeitos adversos.

Some-se a isso o fato de poder ser ministrada apenas uma vez ao dia.

A medicação ainda tem custo acessível, e consta da RENAME 2020 (Relação Nacional de Medicamentos Essenciais). Por isso, tem distribuição gratuita em todas as UBS (Unidades Básicas de Saúde). Para ter acesso a ela, basta apresentar a receita médica.

A maior desvantagem, porém, é que, algumas pessoas não responderão ao fármaco como esperado, ou ele lhes trará algum efeito colateral. Para esses pacientes, existem outras opções que também são consideradas primeira linha de tratamento.

Saiba quem deve evitar a losartana

Embora este medicamento seja considerado seguro, fale com seu médico ou farmacêutico, caso você tenha tido algum tipo de reação alérgica a medicamentos usados para o controle da pressão ou a algum componente da losartana, e mesmo na hipótese de ter tido conhecimento de que alguém de sua família apresenta ou apresentou esse tipo de problema.

Além disso, evite usar essa medicação (ou avise seu médico) na presença das seguintes condições:

  • Função hepática prejudicada;
  • Gravidez;
  • Uso de medicamento à base de alisquireno por pacientes com diabetes e insuficiência renal.

Crianças e idosos podem usar losartana?

Alguns fabricantes contraindicam o uso pediátrico da medicação.

Contudo, a 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial da SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia) recomenda, como estratégia terapêutica, o uso de medicamentos hipertensivos de primeira linha, como é o caso da losartana.

Portanto, a indicação fica a critério do médico, que melhor poderá avaliar a relação de risco-benefício do fármaco, em cada caso.

Já para a maioria de adultos jovens e idosos, o fármaco é bem tolerado e seguro, e é comum que se utilize a mesma dose nesses grupos.

Estou grávida e/ou amamentando, posso usá-la?

O uso da losartana é contraindicada para gestantes porque há risco potencial de efeitos adversos para o feto.

Quanto à amamentação, como não se sabe ainda se o fármaco pode ser excretado por meio do leite materno, fale com seu médico para que ele possa avaliar a relação de risco/benefício da continuidade do tratamento com esse fármaco. Só ele poderá considerar a melhor solução no seu caso.

Como devo consumi-la?

A melhor forma de ingerir todo tipo de medicamento é com água.

Você pode tomá-lo antes, durante ou após as refeições.

O que devo fazer ao esquecer de tomar o remédio?

Espere até a hora da dose seguinte e reinicie o uso do medicamento. É desaconselhado tomar dois comprimidos de uma vez para compensar a dose que foi esquecida.

Se você é daqueles que sempre se esquece de tomar seus remédios, use algum tipo de alarme para lembrar-se.

Quais são os possíveis riscos e efeitos colaterais?

A losartana é bem tolerada pela maioria das pessoas. Porém, alguns pacientes podem apresentar os seguintes desconfortos, que são considerados comuns:

  • Fadiga
  • Cansaço
  • Tontura

Efeitos incomuns:

Efeitos raros:

  • Hipersensibilidade
  • Inchaço na pele
  • Desmaio (síncope)
  • Acidente Vascular Cerebral (AVC)

E minha vida sexual, pode ser prejudicada?

A ocorrência de disfunção erétil é pouco frequente (menor que 2%), e não parece haver efeito da losartana sobre a fertilidade. Mas lembre-se, ela é contraindicada na gravidez.

Quanto aos contraceptivos, alguns tipos deles também são contraindicados para mulheres hipertensas. Consulte seu médico sobre as opções para você.

Interações medicamentosas e alimentares

Na maioria das vezes, não há incompatibilidade do consumo da losartana com alimentos ou outros remédios.

Apesar disso, o uso de álcool pode baixar ainda mais sua pressão. Substitutos do sal à base de potássio, igualmente, junto com a medicação, podem elevar as taxas da substância no sangue, o que poderia prejudicar a saúde do coração.

Avise seu médico caso você já faça uso de outros medicamentos que reduzem a pressão, ou outros fármacos como:

  • Antidepressivos tricíclicos
  • Antipsicóticos
  • Baclofeno
  • Amifostina
  • Medicamentos que retêm potássio ou contenham potássio
  • Diuréticos (amilorida, triantereno etc.)
  • Anti-inflamatórios Não Esteroidais (AINES)

Embora, até o momento, sejam desconhecidas interações com fitoterápicos, é importante falar com um médico ou farmacêutico antes de usar esse medicamento, caso você faça uso contínuo deles ou mesmo de suplementos e vitaminas.

Há interação com exames laboratoriais?

Em estudos clínicos, as associações entre a losartana e os parâmetros laboratoriais foram raras.

Por que já fizeram recall desse medicamento?

Nos anos de 2018 e 2019, várias agências internacionais, como o FDA (Food and Drug Administratrion) observaram a presença de um contaminante no princípio ativo da losartana.

"Trata-se da nitrosamina, um subproduto da síntese desse fármaco. A Anvisa e outras agências internacionais recolheram lotes do medicamento para teste e notificação dos fabricantes. Hoje o problema já foi controlado", explica Gracinda Maria D'Almeida e Oliveira, farmacêutica e professora do curso de Farmácia da PUC-PR.

O uso da losartana pode me prejudicar se eu tiver a covid-19?

João Vicente da Silveira, cardiologista e médico-assistente da Unidade de Hipertensão do InCor-HCFMUSP fala que as evidências científicas, disponíveis até o momento, revelam que uma alta proporção de pacientes com a covid-19 tem doenças cardíacas, e quase 50% dos pacientes internados já tiveram anteriormente AVC, angina, insuficiência coronariana ou infarto.

A partir dessas observações, surgiram hipóteses de que a maior suscetibilidade e o agravamento de sintomas da covid-19 poderiam ser um efeito de medicamentos como a losartana.

A explicação para essa suspeita seria o fato de que o vírus da covid-19 é semelhante ao que causa a SARS (doença respiratória causada por outro tipo de coronavírus), cuja infecção é facilitada por uma enzima específica chamada ECA-2. Os níveis dessa enzima aumentam após a terapia com medicações como a losartana.

Apesar dessa suspeita, Rodrigo Lima, médico de família e comunidade, diretor de Exercício Profissional da SBMFC diz que "não existe qualquer estudo em humanos que confirme esse efeito. A recomendação é que as pessoas que tomam losartana mantenham o seu uso".

"Vale lembrar que estar em dia com o controle das doenças cardiovasculares é fator preventivo das complicações da covid", completa o cardiologista Silveira. Tais advertências são ratificadas pela SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia), a AHA (Associação Americana de Cardiologia) e a ESC (Sociedade Europeia de Cardiologia).

Como potencializar o efeito benéfico dessa medicação

Para colaborar com o tratamento da hipertensão é essencial promover mudanças no estilo de vida, que se resumem nas seguintes práticas:

  • Adote uma alimentação saudável, rica em frutas e verduras e pobre em gorduras saturadas e sódio
  • Invista na prática de atividade física regular, pelo menos 3 vezes por semana
  • Reduza, ao máximo, o consumo de álcool
  • Abandone o tabagismo
  • Aprenda técnicas para controle do estresse

Guia prático de uso da losartana

Somente o médico ou um farmacêutico podem orientá-lo sobre a melhor forma de consumo desse medicamento.

Apesar disso, há algumas informações que você deve conhecer para aproveitar o melhor que o fármaco pode oferecer. Confira:

  • Fique atento à validade do medicamento, que é de 24 meses. Considere que, após aberto, essa validade é ainda menor;
  • Mantenha o medicamento sempre dentro da própria embalagem e nunca descarte a bula até terminar o tratamento;
  • Leia atentamente a bula ou as instruções de consumo do medicamento;
  • Utilize o medicamento na posologia indicada;
  • Ingira os comprimidos inteiros. Evite esmagá-los ou cortá-los ao meio --eles podem ferir sua boca ou garganta. A exceção é a indicação médica;
  • Escolha um local protegido da luz e da umidade para armazenamento. Cozinhas e banheiros não são a melhor opção. A temperatura ambiente deve estar entre 15°C e 30°C;
  • Guarde seus remédios em compartimentos altos ou trancados. A ideia é dificultar o acesso das crianças;
  • Procure saber quais locais próximos da sua casa aceitam o descarte de remédios. Algumas farmácias e indústrias farmacêuticas já têm projetos de coleta;
  • Evite o descarte no lixo caseiro ou no vaso sanitário. Frascos vazios de vidro e plástico, bem como caixas e cartelas vazias podem ir para a reciclagem comum.

O Ministério da Saúde mantém uma cartilha (em pdf) para o Uso Racional de Medicamentos, mas você pode complementar a leitura com a Cartilha do Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos - FIOCRUZ) (em pdf) ou do Conselho Regional de Farmácia de São Paulo (também em pdf). Quanto mais você se educa em saúde, menos riscos você corre.

Fontes: Rodrigo Lima, médico de família e comunidade, diretor de Exercício Profissional da SBMFC (Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade); Gracinda Maria D'Almeida e Oliveira, farmacêutica e professora do curso de Farmácia da PUC-PR (Pontifícia Universidade Católica do Paraná); João Vicente da Silveira, cardiologista e médico-assistente da Unidade de Hipertensão do InCor-FMUSP (Instituto do Coração da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo) e Nathália Christino Diniz Silva, consultora farmacêutica do CRF-SP (Conselho Regional de Farmácia em São Paulo). Revisão técnica: Nathália Christino Diniz Silva.

Referências: SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia); ESC (European Society of Cardiology); AHA (American Heart Association); Junyi Guo, Zheng Huang, Li Lin, Conavirus Disease 2019 (COVID?19) and Cardiovascular Disease: A Viewpoint on the Potential Influence of Angiotensin?Converting Enzyme Inhibitors/Angiotensin Receptor Blockers on Onset and Severity of Severe Acute Respiratory Syndrome Coronavirus 2 Infection. Journal of the American Heart Association. 2020; Sana Mulla; Waqas J. Siddiqui. Losartan. StatPearls. NCBI. 2019; 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial da SBC.

Errata: o texto foi atualizado
A losartana deve ser evitada por pessoas que usem medicamento à base de alisquireno por causa de diabetes e insuficiência renal, e não por todos os diabéticos e pessoas que tenham problemas renais no geral. O texto foi ajustado.

Qual é o Remédio