PUBLICIDADE

Topo

Pergunte ao VivaBem

Os melhores especialistas tiram suas dúvidas de saúde


Pergunte ao VivaBem

Grandes impactos físicos podem causar torção dos ovários?

Daniel Navas

Colaboração para o VivaBem

21/04/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Sim, mas isso só pode acontecer caso o ovário se encontre aumentado por algum motivo
  • Nesses casos, não precisam ser necessariamente grandes impactos, até mesmo exercícios em que há piruetas, como ginástica artística, por exemplo
  • Cistos acima de 6 cm podem causar a torção, pois deixam o ovário pesado e o órgão fica "pendurado"
  • ? A torção ovariana leva a uma dor intensa na região abdominal pelo fato da circulação sanguínea ser interrompida no ovário

Sim. Mas apenas em casos em que o ovário já está aumentado, o que pode ocorrer por conta do desenvolvimento de cistos, tumores ovarianos ou para-ovarianos, hiperestimulação dos ovários para tratamento de reprodução assistida, gravidez nas trompas, cicatrizes na pelve ou malformações dos órgãos pélvicos. Nesses casos, não precisa ser exatamente um grande impacto. Até mesmo atividades físicas como ginástica artística, ou outras modalidades em que há piruetas, por exemplo, poderiam levar ao problema.

Esses cistos, ou tumores, podem atingir um volume significativo, e quando apresentam mais de 6 cm, deixam o ovário mais pesado a ponto de ele ficar "pendurado". Dependendo do exercício que a mulher fizer e do seu impacto, o órgão vai para frente ou para trás e, às vezes, pode rodar sob o próprio eixo, como se fosse um pêndulo. Imediatamente uma dor forte e intensa na região do abdômen é sentida. Isso acontece porque a circulação de sangue no ovário é interrompida.

Caso a mulher sinta algo desse tipo depois de praticar alguma atividade física, é preciso ir ao pronto socorro no mesmo instante. Afinal de contas, o ovário pode necrosar, pois não está recebendo sangue e há o risco de perder o órgão. No hospital, a distorção do ovário é feita por meio de cirurgia - preferencialmente a videolaparoscopia. Feito o procedimento, o próximo passo será observar se o sangue retorna normalmente ao ovário. Se mesmo após a cirurgia for constatada a necrose, o órgão deve ser removido, para evitar o risco da liberação de coágulos de sangue na corrente sanguínea, o que pode causar embolia pulmonar.

É importante saber que quando a mulher possui o outro ovário e trompa sadios, a remoção de um dos ovários não causará impacto relevante na fertilidade ou produção hormonal. Além disso, também é válido ressaltar que até mesmo em repouso, o ovário pode torcer se houver um cisto ou tumor volumoso. Por isso, é sempre importante conversar com o ginecologista e tomar os devidos cuidados.

Fontes: Andrea Nácul, membro da Comissão Nacional de Ginecologia Endócrina da FEBRASGO (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia); Marcos Wengrover Rosa, chefe do serviço de ginecologia e obstetrícia do Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre; Marianne Pinotti, ginecologista e obstetra voluntária do Instituto Horas da Vida; e Waldemar Carvalho, professor associado na Universidade de Medicina do ABC, em São Paulo e especializado em reprodução humana.

Quais são suas principais dúvidas sobre saúde do corpo e da mente? Mande um email para pergunteaovivabem@uol.com.br. Toda semana, os melhores especialistas respondem aqui no VivaBem.

Pergunte ao VivaBem