PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Dá para ter coronavírus e gripe ao mesmo tempo? Infectologistas explicam

iStock
Imagem: iStock

Giulia Granchi

Do VivaBem, em São Paulo

23/03/2020 04h00

Que os sintomas do novo coronavírus e da gripe são parecidos você provavelmente já sabe. Mas será que é possível ter ambas as doenças ao mesmo tempo?

De acordo com os infectologistas Raquel Muarrek, da Rede D'Or e André Ricardo Ribas de Freitas, professor na Faculdade de Medicina São Leopoldo Mandic de Campinas, entrevistados pelo VivaBem, não é comum, mas os diferentes vírus podem, sim, conviver no organismo humano.

"Eles não disputam por que nem toda célula fica infectada, então cada um consegue seu próprio espaço, replicando e aumentando o número de vírus", esclarece Ribas de Freitas.

De acordo com Muarrek, uma das pacientes que ela trata atualmente apresenta os dois quadros. "Ela relatou que estava com coriza, mal-estar, febre há duas semanas, além de sintomas respiratórios. Também sabíamos que ela convive com o marido que teve contato com um parente que testou positivo para covid-19", conta.

Para a certeza dos diagnósticos, a infectologista explica que foram realizados o teste rápido de influenza e o RT-PcR (outro tipo de exame para detectar o vírus), além de um exame molecular para comprovar o quadro de covid-19. "Ela está estável e sendo tratada com medicamentos antibacterianos e antivirais", explica Muarrek.

Sintomas são mais fortes em quem tem os dois quadros?

Não necessariamente. Além de as doenças se manifestarem de forma similar, de acordo com Ribas de Freitas, os sintomas causados pelo novo coronavírus são mais fortes, e por isso, tendem a ser mais evidentes.

Importância da vacinação contra influenza

Também é por isso que em tempos de pandemia do coronavírus, a recomendação médica é que as pessoas tentem manter o calendário de vacinação em dia, dentro das possibilidades. Uma das vacinas mais importantes da temporada é a da gripe, que previne a contaminação pelo vírus influenza, entre eles H1N1 e H3N2.

Velho conhecido do sistema de saúde, o influenza costuma circular no Brasil com mais intensidade a partir de março (embora, em 2020, já tenha sido registrado desde janeiro).

Para começar, a vacina da gripe é importante para evitar que você se contamine com outro vírus potencialmente perigoso. "Isso vai evitar que duas epidemias aconteçam juntas e ainda facilitar o diagnóstico de quem desenvolver a covid-19, que possui sintomas semelhantes", afirma Raquel Muarrek, infectologista da Rede D'Or.

O influenza também é conhecido por provocar complicações respiratórias graves em pacientes imunodeprimidos, idosos e pessoas com outras doenças —exatamente o público vulnerável ao novo coronavírus. "Estar imunizado também garante menos casos que necessitem de cuidados intensivos, aumentando os leitos para quem adquirir a nova doença", explica Gonzalo Vecina, ex-presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e presidente do Instituto Horas da Vida, que presta atendimento médico para a população carente.

Saúde