PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Coronavírus: estou doente e moro sozinho. Que cuidados tomar?

andré porto
Imagem: andré porto

Gabriela Ingrid

Do VivaBem, em São Paulo

18/03/2020 14h00

O isolamento de infectados que moram sozinhos é mais difícil, até porque, além de doentes, eles são responsáveis por cuidados com alimentação e limpeza.

Felizmente, por não dividir a casa com outras pessoas, ele não precisa ficar apenas em um cômodo. Mas muitas recomendações são as mesmas. A casa, por exemplo, deve ser bem ventilada. Portanto, é bom manter janelas abertas.

A limpeza da casa deve ser feita diariamente, desinfetando tudo que ele possa ter tocado, como maçanetas, torneiras, interruptores, teclados, mesas, cadeiras, vaso sanitário etc.

Invista nestes produtos para higienizar ambientes e matar o coronavírus:

  • Água sanitária
  • Desinfetantes em geral
  • Limpadores multiuso com cloro
  • Limpadores multiuso com álcool
  • Álcool de limpeza (líquido)
  • Detergente
  • Sabão

Na hora de jogar o lixo, o infectado deve colocar os resíduos em um saco plástico e lacrá-lo após o uso.

Alimentação

O ideal é que o indivíduo contaminado não saia de casa, portanto pedidos de ajuda caem bem. Familiares, amigos e até vizinhos podem ajudar, fazendo compras. A sacola deve ser deixada em frente à porta. Ao abri-la, o infectado deve manter uma distância de dois metros da outra pessoa e pegar a sacola.

Especialistas ainda dizem que serviços de entrega também podem ser usados, desde que tomadas as medidas necessárias. Pagar com antecedência, pelo próprio aplicativo, evitam contaminação pelo dinheiro. Além disso, a máscara deve ser usada toda vez que o infectado sair da casa ou do apartamento, mesmo que seja para ir até o portão.

A distância de dois metros de entregador também deve ser respeitada.

Recontaminação

Segundo os especialistas ouvidos pelo VivaBem, não há evidência científica suficiente que confirme o risco de o infectado ser recontaminado, ou seja, pegar o vírus novamente após o primeiro contágio.

Os médicos afirmam que, se o indivíduo teve a doença, em duas semanas ele já começa a produzir anticorpos neutralizantes. Mas talvez esse tempo seja até menor.

Segundo o infectologista David Uip, coordenador do Centro de Contingência para o coronavírus no estado de São Paulo, o período de incubação está se mostrando mais curto. "Vai de 3 a 8 dias. Nós vamos sugerir hoje ao Ministério da Saúde que mude o critério de tempo da quarentena, que diminua de 14 para dez dias", disse.

Fontes: Alexandre Naime Barbosa, infectologista chefe do departamento de infectologia da Unesp (Universidade Estadual Paulista) e consultor da SBI (Sociedade Brasileira de Infectologia); Jorge Sampaio, microbiologista do Fleury Medicina e Saúde e Raquel Muarrek, infectologista da Rede D'Or.

Saúde