PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Coronavírus se espalha rápido, às vezes antes de infectados terem sintomas

Pedestres usam máscara de proteção na região da Rua 25 de Março, área de comércio popular no centro de São Paulo - Alex Silva/Estadão Conteúdo
Pedestres usam máscara de proteção na região da Rua 25 de Março, área de comércio popular no centro de São Paulo Imagem: Alex Silva/Estadão Conteúdo

Do VivaBem, em São Paulo

14/03/2020 10h15Atualizada em 02/04/2020 16h38

Pesquisadores na Universidade do Texas em Austin (EUA) estudaram o novo coronavírus e identificaram a rapidez com que o vírus pode se espalhar. Em estudo publicado no periódico Emerging Infectious Diseases, os cientistas concluíram que o tempo entre os casos em uma cadeia de transmissão é inferior a uma semana e que mais de 10% dos pacientes são infectados por alguém que tem o vírus e não apresenta sintomas.

No entanto, uma outra pesquisa feita por americano e chineses, publicada na Science, mostrou que a taxa de transmissão por pessoas sem sintomas é muito maior e pacientes sem sinais da covid-19 são responsáveis por dois terços das infecções. Isso reforça a importância da recomendação de ficar em casa e evitar todo tipo de contato social para impedir que o vírus se espalhe.

"Os resultados fornecem evidências de que medidas de controle abrangentes, incluindo isolamento, quarentena, fechamento de escolas, restrições de viagens e cancelamento de reuniões em massa podem ser justificadas", disse Lauren Ancel Meyers, que participou do estudo da Universidade do Texas. "A transmissão assintomática definitivamente torna a contenção mais difícil", ressaltou.

Como o estudo foi feito

  • A equipe da Universidade do Texas examinou mais de 450 casos de infecção em 93 cidades da China e encontraram evidências de que pessoas sem sintomas devem transmitir o vírus, em um mecanismo conhecido como transmissão pré-sintomática.

  • Os resultados mostraram que mais de 1 em cada 10 infecções eram de pessoas que tinham o vírus, mas ainda não se sentiam doentes.

  • Além disso, os cientistas explicaram que a velocidade de uma epidemia depende de duas coisas: quantas pessoas cada caso infecta e quanto tempo leva para o vírus se espalhar. A primeira é chamada número de reprodução e a segunda é o intervalo serial.

  • Para medir o intervalo serial do coronavírus, os cientistas analisaram o tempo que leva para que os sintomas apareçam em duas pessoas com o vírus: a pessoa que infecta outra e a segunda pessoa infectada.

  • Eles descobriram que o intervalo serial médio para o novo coronavírus na China era de aproximadamente quatro dias. O curto intervalo serial da covid-19 significa que os surtos emergentes crescerão rapidamente e podem ser difíceis de parar.

Intervalo serial é diferente de ebola

De acordo com Meyers, o ebola tem um intervalo serial, ou seja, quanto tempo leva para o vírus se espalhar de várias semanas. Isso faz com que seja relativamente mais fácil de conter do que a gripe, que tem um intervalo serial de apenas alguns dias. "Os responsáveis pela saúde pública dos surtos de ebola têm muito mais tempo para identificar e isolar os casos antes de infectar outros", disse.

Segundo ela, os dados sugerem que esse coronavírus pode se espalhar como uma gripe. "Isso significa que precisamos agir de forma rápida e agressiva para conter a ameaça emergente". Com centenas de novos casos surgindo em todo o mundo todos os dias, os dados podem oferecer uma imagem diferente com o tempo.

Saúde