PUBLICIDADE

Topo

Movimento

Inspiração pra fazer da atividade física um hábito


Movimento

Balanço dos seios pode fazer mulheres 'correrem 1,6 km a mais' na maratona

A movimentação excessiva dos seios diminui a passada das mulheres, o que as obriga a se esforçarem por mais tempo para completar uma prova - iStock
A movimentação excessiva dos seios diminui a passada das mulheres, o que as obriga a se esforçarem por mais tempo para completar uma prova Imagem: iStock

Do VivaBem

16/02/2020 17h10

Quarenta e dois quilômetros e cento e noventa e cinco metros. Essa é a distância que um atleta precisa correr para completar uma maratona. No entanto, se for mulher e não usar um top adequado para evitar o movimento excessivo dos seios, você pode ser obrigada a fazer um esforço maior, semelhante ao de correr 1,6 km a mais, para cruzar a linha de chegada da prova.

A constatação é de uma pesquisa realizada pela Universidade de Portsmouth (EUA), a pedido da empresa americana de material esportivo Brooks. No estudo, os cientistas usaram análises biomecânicas para avaliar o impacto do movimento dos seios na passada das mulheres durante a atividade física. Eles concluíram que ao usar um top com pouca sustentação, que permite maior balanço das mamas, as atletas acabam diminuindo seus passos em até 4 cm —o que em uma maratona as obrigaria a dar um número de pessoas maior, similar ao para correr 1,6 km.

É importante saber que, além desse "aumento no percurso", a movimentação excessiva dos seios ao praticar esportes (qualquer um) pode gerar dores durante e depois do exercício e, em longo prazo, causar flacidez nas mamas.

Como escolher o top certo

Usar um top apropriado evita dores que podem até interromper a atividade física e a flacidez nos seios - iStock
Usar um top apropriado evita dores que podem até interromper a atividade física e a flacidez nos seios
Imagem: iStock

Segundo Joanna Scurr, chefe do Grupo de Pesquisa da Universidade de Portsmouth para Saúde da Mama, independentemente do tamanho da mama, top esportivo bem ajustado pode fazer a diferença no desempenho do treino, bem como na sua saúde geral e bem-estar.

Na hora de comprar um top, é importante observar três pontos: ajuste, suporte e design. O encaixe perfeito acontece quando a peça não aperta muito —a ponto de causar desconforto ou pressionar parte dos seios para fora — nem fica muito solta, com pequenas dobras no tecido. Se você precisar puxar muito as alças para ajustar o top ao corpo, o tamanho está errado.

"Um modelo muito largo não garante sustentação, enquanto um muito apertado pode prejudicar a circulação sanguínea e limitar os movimentos", destaca Rodrigo Brochetto*, médico do esporte pela USP (Universidade de São Paulo), que atende na clínica Care Club, em São Paulo. O ideal é conseguir passar dois dedos entre as alças e a faixa peitoral, que fica logo abaixo dos seios.

Um dica na hora da compra é dar uma corridinha pela loja ou uns saltos para cima, assim você consegue ter uma ideia do suporte oferecido.

Cada tamanho de seio pede um modelo

Para dar sustentação a seios grandes, os modelos com alças ajustáveis e largas são os mais recomendados. Evite os de alças finas, que podem não suportar adequadamente o peso das mamas e ainda machucar —pois as tiras pequenas acabam pressionando muito a pele. Os modelos "cápsula" também são ótima opção para mulheres com seios grandes. Eles geralmente possuem fecho na parte de trás e um recorte que "encapsula" cada mama separadamente, acompanhando seu desenho, e garantem boa sustentação.

Já os chamados tops de compressão, sem fecho, são indicados para quem tem seios pequenos ou médios. Em mulheres com busto maior, esse tipo tende a limitar os movimentos dos ombros. Há ainda uma terceira opção que une o encapsulamento e a compressão, ideal para seios médios a grandes.

*Fonte consultada em reportagem de junho de 2018, feita por Juliana Vaz

Movimento