PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Engolir esperma faz mal? Dá alergia? Engorda? Tire dúvidas

iStock
Imagem: iStock

Renata Turbiani

Colaboração para o VivaBem

22/01/2020 04h00

Engolir ou não o esperma? Na hora do sexo, esse é um ponto que sempre gera polêmicas e dúvidas. Se por um lado tem gente que não gosta da prática, sente nojo ou tem medo de pegar uma enfermidade, por outro há quem curta, sinta prazer e até acredita que é bom para a saúde. Mas, afinal, faz bem ou mal?

Daniel Suslik Zylbersztejn, médico do Departamento de Sexualidade e Reprodução da SBU (Sociedade Brasileira de Urologia), explica que o esperma (ou sêmen), fluído produzido pelas glândulas vesícula seminal e próstata, por si só não oferece risco —mas também não existe comprovação científica de que traga algum benefício.

"O líquido é composto por uma série de substâncias, como proteína, frutose, vitaminas e minerais, além do espermatozoide, e nenhuma delas é prejudicial. O problema se dá quando o homem está infectado com alguma IST (infecção sexualmente transmissível)", afirma o especialista.

Neste caso, se a outra pessoa tiver uma lesão ou mesmo uma microfissura na boca ou na orofaringe, ao engolir o esperma —ou apenas ficar com ele na boca—, fica suscetível a contrair enfermidades como HPV, sífilis, clamídia e gonorreia. O que acontece é que os machucados funcionam como porta de entrada para os microrganismos.

"Qualquer tipo de relação sexual pode transmitir doenças, e com a oral não é diferente", acrescenta Alex Meller, professor da disciplina de Urologia da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e membro do corpo clínico do Hospital Israelita Albert Einstein (SP). "Por isso, o uso de preservativo, mesmo durante essa prática, é indispensável", acrescenta.

Para os casais que não abrem mão da ejaculação na boca, o médico aconselha que procurem periodicamente seus médicos de confiança para fazerem os exames necessários e certificarem-se de que estão saudáveis. Caso as pessoas tenham acabado de se conhecer ou se encontrem eventualmente, aí o mais sensato é evitá-la.

Esperma engorda? Dá alergia?

Pelo fato de o sêmen conter frutose (açúcar), muita gente acha que vai engordar se engoli-lo. Nada disso. "Ele até tem um pouco de caloria, só que a quantidade que será consumida é tão pequena que não será suficiente para ganhar uns quilos", diz Zylbersztejn.

Estudos mostram que, em um orgasmo, o homem ejacula o equivalente a uma colher de chá (entre 2 ml e 5 ml), e esse volume tem cerca de 10 calorias apenas. Assim, para aumentar o peso, seria preciso ingerir muito, mas muito esperma.

Embora se fale pouco sobre o assunto, algumas pessoas são alérgicas ao líquido que sai do pênis. "O sêmen é altamente proteico e tem tantas substâncias que pode gerar um processo alérgico em indivíduos mais sensíveis. Isso é mais comum no sexo anal ou vaginal, mas pode acontecer no oral", relata o membro do Departamento de Sexualidade e Reprodução da SBU.

A literatura científica descreve essa condição como rara e, quando ocorre, é mais frequente nas mulheres. Entre os principais sintomas estão vermelhidão, coceira, queimação e/ou inchaço nos locais que tiveram contato com o fluído. Em casos mais graves, provoca diarreia e dificuldade para respirar.

Dá para melhorar o gosto e o cheiro do esperma?

Engolir o esperma acaba sendo um problema para alguns por causa do gosto e do cheiro considerados ruins. A boa notícia é que existem evidências de que é possível melhorar essas duas condições fazendo alterações nos hábitos alimentares.

Por exemplo, ao evitar o consumo exagerado e recorrente de alho, corantes, frituras, álcool, cafeína e produtos picantes, condimentados e amargos, e acrescentar na dieta alimentos como canela, gengibre e frutas, sobretudo abacaxi, tanto o sabor quanto o odor do líquido ficam mais leves e até mesmo adocicados.

É importante destacar que cuidar muito bem da saúde, inclusive a íntima, também é fundamental nesse processo. Essa ação sozinha já garante que ele tenha fragrância e gosto mais agradáveis.

Infecções sexualmente transmissíveis

Segundo o Ministério da Saúde, as ISTs (infecções sexualmente transmissíveis) são transmitidas por mais de 30 agentes etiológicos (vírus, bactérias, fungos e protozoários) diferentes, principalmente por contato sexual (oral, vaginal e anal) sem o uso de preservativo.

A maioria delas se manifesta nos órgãos genitais por meio de feridas, corrimento e verrugas, mas também podem surgir em outras partes do corpo, como palma das mãos e olhos. Muitas ainda provocam complicações. Na lista estão vários tipos de câncer, infertilidade, aborto, dificuldades na gestação e no parto, problemas neurológicos e cardiovasculares e a morte.

O tratamento é feito de acordo com a patologia. No geral, envolve o uso de medicamentos (antibióticos e antivirais são alguns), cremes e até processos químicos e cirúrgicos. Para prevenir é indispensável o uso de camisinha feminina ou masculina e se vacinar —algumas enfermidades, como o HPV, contam com esse tipo de proteção.

Jairo: quando gozo não sai nada. O que está acontecendo?

VivaBem

VivaBem no Verão - 2ª edição

O VivaBem está no litoral paulista com o VivaBem no Verão. São dois espaços na Riviera de São Lourenço (Bertioga) com diversas opções de atividades físicas, lazer, cultura e comidas para você curtir o calor com a família ou os amigos. Saiba mais sobre o evento aqui e venha nos visitar!

Data: de 26 de dezembro de 2019 até o dia 09 de fevereiro de 2020, de quinta a domingo
Horário de funcionamento: das 9h até as 13h (praia) e das 17h até a 1h (arena)
Endereço arena: Av. Riviera, s/n, próximo ao shopping
Local do espaço na praia: canto direito da praia de Riviera de São Lourenço
Entrada: gratuita

Saúde