PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Madonna fez auto-hemoterapia antes de voltar aos palcos; para que serve?

Ténica consiste em retirar o próprio sangue e injetá-lo de volta no corpo -  Kevin Mazur/Getty Images
Ténica consiste em retirar o próprio sangue e injetá-lo de volta no corpo Imagem: Kevin Mazur/Getty Images

Giulia Granchi

Do VivaBem, em São Paulo

08/12/2019 10h36

Resumo da notícia

  • Em seu instagram, a cantora Madonna publicou um vídeo no qual mostra ser adepta de uma ténica chamada auto-hemoterapia
  • O procedimento retira o sangue do paciente e injeta novamente em seu corpo, com o suposto propósito de melhorar a imunidade
  • A auto-hemoterapia não é reconhecida pelos conselhos médicos no Brasil e especialistas não consideram a prática segura
  • Entre os riscos estão os de contaminação, infecção e lesão nos músculos

Há poucos dias de retornar aos palcos, a cantora Madonna, de 61 anos, publicou nas redes sociais um vídeo em que mostra estar passando por um procedimento conhecido como auto-hemoterapia. Na técnica, são retirados até 20 ml de sangue do braço da pessoa, como em um exame de sangue, e essa quantidade é imediatamente injetada nas nádegas ou no músculo do braço desse mesmo indivíduo.

Em teoria, o procedimento melhoraria a imunidade do paciente: ao entrar em contato com o músculo o sangue provocaria uma reação de rejeição, estimulando o sistema imune a destruir "invasores".

No Brasil, a auto-hemoterapia não é uma atividade reconhecida pelos conselhos médicos. O CFM (Conselho Federal de Medicina) não considera a auto-hemoterapia como um tratamento e afirma que não existem evidências científicas confiáveis de que ela seja efetiva para prevenir qualquer doença em seres humanos, segundo o parecer n° 12, emitido em 2007 pelo órgão.*

Outros conselhos médicos, como a ABHH (Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia), compartilham da mesma opinião. Em nota, a Associação afirma que a auto-hemoterapia é adotada por leigos e desaconselhada pois, além de não ter nenhum benefício comprovado no campo da ciência, pode apresentar inúmeros riscos à saúde.

Quais os possíveis riscos da auto-hemoterapia?

De acordo com Dante Langhi Jr., presidente da ABHH, a prática, que não é realizada de forma legal e nem regulamentada de forma devida pelos órgãos responsáveis, oferece risco de contaminação, infecção e lesão nos músculos.

Por conta dos riscos, é proibido que a auto-hemoterapia seja usada pelos médicos. Segundo o CFM, os profissionais que a praticarem poderão sofrer penalidades e até ter seu registro profissional cassado.

Auto-hemoterapia é diferente de hemoterapia

A auto-hemoterapia não pode ser confundida com a hemoterapia. "O procedimento legal utiliza os componentes sanguíneos e seus derivados para transfusões de sangue e plaquetas, produção de imunoglobulinas para o tratamento de câncer ou produção de fatores de coagulação para pessoas com hemofilia, por exemplo, e de nada tem a ver com esse método absurdo", diz Langhi.

*Com informações da reportagem de Gabriela Ingrid, publicada em 23/01/2019.

Podcasts do UOL
Ouça o podcast Maratona, em que especialistas e corredores falam sobre corrida. Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Saúde