PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Desvio de septo dificulta respiração e causa até cefaleia. Quando operar?

Cefaleia e dores constantes na face estão entre os principais sintomas do desvio de septo - Istock
Cefaleia e dores constantes na face estão entre os principais sintomas do desvio de septo Imagem: Istock

Priscila Carvalho

Do VivaBem, em São Paulo

24/10/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Formado por osso e cartilagem, o septo nasal é responsável pela separação das narinas
  • Quando há uma alteração nessa "parede" e as narinas não têm simetria, ocorre o desvio do septo
  • A condição pode ser assintomática ou gerar dificuldade para respirar, dor de cabeça, ronco e dores na face
  • A cirurgia é indicada quando o paciente apresenta incômodos frequentes
  • O procedimento é feito em ambiente hospitalar e a recuperação demora de sete a dez dias

O septo nasal é uma parede constituída de osso e cartilagem, localizada no meio do nariz e responsável por separar uma narina da outra. O correto é que elas fiquem divididas de maneira praticamente idêntica. Quando uma narina é maior do que outra, ocorre a condição chamada de desvio de septo —que se for pequeno e não gerar incômodos não chega a ser um problema.

A alteração acontece por causa de um crescimento exagerado da cartilagem ou até mesmo de forma traumática, ao levar uma pancada e quebrar o nariz, por exemplo. Além disso, doenças como rinite e sinusite facilitam o surgimento da condição.

Como falamos, o desvio pode não apresentar sintoma algum. Porém, em boa parte das vezes, quem sofre com o problema tem queixas como nariz entupido, cefaleia (dor de cabeça), dores na face, apneia, respiração oral (pela boca) e ronco.

Como é feito o diagnóstico?

Normalmente, o médico consegue identificar o desvio de septo usando um aparelho específico chamado nasofibroscópio, que abre as narinas, permitindo a visualização de dentro do nariz. Quando não é possível detectar o problema assim, o recomendado é realizar um exame endoscópico chamado nasofibrocospia. Ela avalia desde a cavidade nasal até a laringe.

Quando é necessário operar?

O paciente não precisa fazer o procedimento cirúrgico caso os desconfortos provocados pelo desvio de septo não sejam constantes e possam ser amenizados com medicamentos. Agora, se as queixas severas de nariz entupido e dores de cabeça forem frequentes, a operação é indicada.

O procedimento deve ser realizado por um otorrinolaringologista e costuma durar no máximo uma hora. A recuperação demora de sete a dez dias e o paciente não pode tomar sol, usar óculos e deve seguir todas as recomendações dos médicos. Após a cirurgia, o paciente volta a respirar normalmente e deixa de apresentar os sintomas antigos.

Porém, quando o nariz é um pouco torto, a pessoa pode apresentar o que os especialistas chamam de pirâmide nasal, que dificulta a respiração das duas narinas. Nesse caso, mesmo depois da cirurgia, o paciente ainda pode ter dificuldades em respirar de forma adequada. Quando isso ocorre, os médicos recomendam fazer em paralelo um procedimento estético chamado rinoplastia, que proporciona uma simetria melhor do nariz e facilita que a cirurgia do septo tenha resultados satisfatórios.

Existe uma idade certa para a cirurgia?

O ideal é realizar o procedimento cirúrgico após a puberdade, quando o desenvolvimento ósseo e cartilaginoso do nariz já ocorreu por completo.

Fontes: Fausto Nakandakari, otorrinolaringologista do Hospital Sírio Libanês; e Cicero Matsuyama, otorrinolagorinlogista do Hospital do Cema.

Podcasts do UOL
Ouça o podcast Maratona, em que especialistas e corredores falam sobre corrida. Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Saúde