Topo

Equilíbrio

Cuidar da mente para uma vida mais harmônica


Equilíbrio

Depressão: preparar-se para as crises é estratégia para passar por elas

iStock
Imagem: iStock

Diego Garcia

Colaboração para o UOL VivaBem

10/10/2019 04h00

Depressão é um diagnóstico crônico, então uma vez que ele ocorre, a pessoa terá que conviver com a doença e possíveis crises. De acordo com um estudo conduzido por José Alberto Del Porto, professor titular do Departamento de Psiquiatria da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), por mais que as pessoas acreditem que os sintomas mais comuns seja um sentimento de tristeza, muitos relatam um cansaço intenso, sensação de vazio e perda de energia e da capacidade de experimentar prazer nas atividades em geral.

Mas estar preparado para uma possível crise pode ajudar a minimizar essas reações físicas e psicológicas e fazer com que a crise passe mais depressa.

Como preparar-se para as crises?

Ana Tancredi, psicóloga do Hospital Sírio Libanês, afirma que "o autoconhecimento é fundamental para se conhecer e saber quais são os sinais que indicam que algo não está bem e o que pode ser feito quando estiver preso em uma crise depressiva".
Amilton dos Santos Junior, psiquiatra e professor da Unicamp (Universidade de Campinas) complementa que não existem fórmulas mágicas e cada um sente de uma forma e age melhor de formas diferentes.

Confira abaixo algumas atitudes que podem ajudar a passar melhor por uma crise quando ela vier.

1. Procure ajuda

Quem já passou por uma crise depressiva sabe o quanto é difícil encarar sozinho. A orientação dos especialistas é que nos primeiros sinais de que uma nova crise vai começar, buscar ajuda, primeiro profissional (do psiquiatra ou psicólogo) e depois de amigos ou familiares próximos, com os quais a pessoa tenha uma boa relação e que confie. Estar próximo a pessoas é sempre mais reconfortante em momentos de crise.

2. Elenque prioridades: faça o mínimo, mas faça

Quando alguém está em uma crise depressiva, fazer qualquer coisa é um sacrifício e tudo fica mais difícil. Até o andar se torna muito pesado. Mas, pior do que encarar isso, é sucumbir. Os especialistas aconselham que a pessoa eleja prioridades e faça o mínimo possível, mas não deixe de fazer. Quanto menos for feito, menos a pessoa vai querer fazer alguma coisa e isso pode piorar a situação.

3. Adote hábitos de vida mais saudáveis

Uma sugestão dos especialistas para quem sofre crises depressivas é analisar seus hábitos de vida e se é possível torná-los mais saudáveis. Uma alimentação balanceada, alinhada a prática de exercícios físicos regulares, práticas religiosas (se for o caso), boas noites de sono, estar mais próximo da família e amigos. Além de cuidar da saúde e da mente, intensificar atividades que são prazer e gerem bem-estar físico e emocional.

4. Obrigue-se a fazer algum exercício quando estiver em crise

Sabemos que quem está depressivo não quer fazer nada. Mas movimentar-se quando estiver em uma crise depressiva é muito importante. Pode ser uma caminhada ou uma volta no quarteirão. O que importa é colocar-se em movimento.

5. Crie o hábito de escrever

Uma das técnicas que Junior utiliza com seus pacientes é pedir para que escrevam --pode ser em um caderno, tablet ou celular -- como se sentem quando estão felizes, os motivos que os deixaram felizes naquele dia e que quando estiverem tristes, que leiam esses escritos. Só o fato de ler e trazer a memória os momentos felizes, ajuda a mudar o humor. Um estudo da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, constatou que escrever sobre eventos traumáticos, estressantes ou emocionais resulta em melhorias na saúde física e psicológica, em populações não clínicas e clínicas.

Somos todos imperfeitos

Muitas vezes entramos em um piloto automático e não sabemos lidar com frustrações e situações negativas. Pode ser um problema no trabalho, uma prova que não fomos bem, uma entrevista de emprego, enfim, uma série de situações que nos deixam pra baixo.

Começamos a alimentar pensamentos de que não somos bons o suficiente, somos inúteis, não prestamos e por aí vai. É importante detectar esses pensamentos e racionalizar: você não é sem valor, não é uma pessoa inútil, todo mundo tem problemas no trabalho, é normal não passar em entrevistas de emprego ou em uma prova. E tudo bem.

"Não dá para viver essa ditadura da felicidade em que todo dia tem que estar sorrindo e postando fotos nas redes sociais", diz Junior. Ele completa que é importante até ter alguns momentos não tão legais para poder refletir, crescer e poder aprender com eles, até para valorizar mais os bons momentos.

Junior sugere a seguinte analogia: em algumas festas, as pessoas utilizam óculos coloridos para brincar. Se você colocar óculos da cor verde, você passará a enxergar tudo verde ao seu redor. Quando alguém está muito mal muito deprimida, tudo o que ela vê é cinza, como se a vida perdesse a cor, como se não tivessem outros acessos. Mas é só a lente que está sendo usada. "Vamos enxergar o mundo com outra lente, identificar outros pensamentos automáticos que fazem com que você não se sinta legal e tentar trocar os por outros que não sejam tão negativos, basta apenas vencer uma resistência inicial, mas é possível".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Equilíbrio