Topo

Equilíbrio

Cuidar da mente para uma vida mais harmônica


Equilíbrio

Adolescentes que não namoram são menos depressivos e mais sociáveis

Getty Images -
Getty Images

Do VivaBem, em São Paulo

08/09/2019 11h56

Uma pesquisa realizada por cientistas da Universidade da Geórgia (EUA) descobriu que adolescentes que não estão em relacionamentos românticos durante o ensino médio têm boas habilidades sociais e baixa depressão. O estudo foi publicado no periódico The Journal of School Health, na sexta-feira (6).

"A maioria dos adolescentes tem algum tipo de experiência romântica entre 15 e 17 anos de idade. Essa alta frequência levou alguns pesquisadores a sugerir que o namoro na adolescência é um comportamento normativo e faz parte do desenvolvimento psicológico", diz Brooke Douglas, principal autora do estudo, que explicou a razão do estudo: "Isso significa que os adolescentes que não namoram são desajustados sociais? Poucos estudos examinaram as características dos jovens que não namoram durante a adolescência e decidimos que queríamos aprender mais".

A pesquisa concluiu que a ideia de que não namorar é um problema está completamente equivocada. "Em resumo, descobrimos que os estudantes que não namoram estão simplesmente seguindo uma trajetória de desenvolvimento diferente e saudável do que seus pares", diz Pamela Orpinas, co-autora do estudo.

Segundo Orpinas, a pesquisa pode servir de base para que profissionais de saúde pública conversem com os adolescentes sobre o tema e afirmem que esses jovens têm a liberdade individual de escolher se querem namorar ou não, "e que qualquer uma dessas opções é aceitável e saudável".

Como o estudo foi feito

  • As pesquisadoras examinaram 594 adolescentes que namoravam ou não. Eles foram comparados com base em classificações de professores (habilidades sociais, liderança, depressão) e auto-relatos dos próprios alunos (relacionamentos positivos com amigos, em casa e na escola; depressão, ideação suicida).
  • Os alunos que não namoravam tiveram classificações significativamente mais altas de habilidades sociais e liderança por parte dos professores e níveis mais baixos de depressão em comparação com os outros grupos.

  • A depressão foi significativamente menor no grupo que não namorava, mas as ideias suicidas não diferiram dos que namoravam.