Topo

Alimentação

Ideias e informações para você comer melhor


Alimentação

Levar marmita ao trabalho é opção para se alimentar melhor

Preparar a própria refeição para levar é garantia de economia e mais saúde - iStock
Preparar a própria refeição para levar é garantia de economia e mais saúde Imagem: iStock

Luiza Tiné

Blog da Saúde

20/08/2019 09h06

Correria do dia-a-dia e muito trabalho não são desculpas para nos rendermos aos alimentos prontos. Mesmo com uma infinidade de atrativos como os fast foods e a grande oferta de alimentos que prometem preparo fácil e rápido, é possível optar por alimentos de verdade, nutritivos e igualmente fáceis de encontrar e preparar.

Uma boa opção para fugir dessas tentações, economizar e se alimentar melhor são as marmitas. Mas não basta apenas cozinhar e guardar, é preciso planejar a semana e saber aproveitar os alimentos, conseguindo assim até prevenir algumas doenças.

Confira abaixo algumas dicas para fazer uma marmita saudável:

Seleção dos alimentos

Dê preferência para alimentos frescos, da estação e para os alimentos comprados nas feiras locais. Uma boa opção para ajudar na compra é Guia de Alimentos Regionais produzido pelo Ministério da Saúde, que traz informações de como comer e preparar a refeição, uma lista de possíveis substituições para as preparações desenvolvidas, ressaltando a diversidade cultural brasileira.

Preparação

Os legumes e as verduras devem ser cozidos por menos tempo do que o habitual, pois alguns alimentos podem amaciar quando congelados. Na preparação das carnes, faça-as sempre assadas ou grelhadas. Além de a fritura não ser saudável, não é bom congelar. Use menos tempero e sal antes do congelamento para que durante o processo de descongelamento e preparação, o tempero fique fresco. Depois de cozinhar, a preparação deve ser resfriada rapidamente. Mergulhe a panela sem tampa em água com gelo para interromper o cozimento e conservar bem os alimentos.

O mais importante no processo de congelamento é: quanto mais rápido o alimento for resfriado, melhor, pois ficará menos tempo em temperatura que favoreça o crescimento de microorganismos. A sugestão é colocar o alimento em recipientes mais rasos, aumentando a área de resfriamento e com isso acelerando o processo. Colocar a panela em recipiente com água gelada ajuda a reduzir a temperatura de forma mais rápida também. Deixe sair o vapor, cubra o alimento e coloque-o para resfriar em geladeira ou diretamente no freezer.

Guardando o alimento

Ao levar sua comida para o freezer, lave bem os recipientes, verifique se está bem fechado. Use pote, de preferência, transparentes. Fique atento para os prazos de validade. Lembrando que a temperatura do congelador (que fica na parte de cima da geladeira) é inferior ao do freezer, fazendo com que o tempo de armazenamento também diminua.

Quais são os riscos de congelar e descongelar a comida

O processo de congelamento e descongelamento da comida vai interferir nas características dos alimentos, como textura, sabor, umidade. Mas, se feito de forma adequada, pode facilitar o dia a dia, facilitando a disponibilidade de maior variedade de alimentos. No entanto, quando um alimento for congelado e depois descongelado, não deve ser congelado novamente, pois além de interferir na qualidade, aumenta o risco de contaminação por bactérias e outros microorganismos que podem se aproveitar da mudança de temperatura para se multiplicar no alimento e colocar em risco a saúde de quem o comer.

Não descongele os alimentos à temperatura ambiente. Utilize o forno de microondas se for prepará-lo imediatamente ou deixe o alimento na geladeira até descongelar, pois os micróbios patogênicos multiplicam-se rapidamente em temperatura ambiente. As carnes devem ser descongeladas dentro de recipientes, já que, durante o descongelamento, elas produzem sucos que podem contaminar outros alimentos com micróbios patogênicos.