Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Estudo revela como E. coli encontra jeito de causar infecção grave no corpo

A Escherichia coli também é responsável por centenas de milhares de mortes em locais sem saneamento básico, particularmente de crianças - iStock
A Escherichia coli também é responsável por centenas de milhares de mortes em locais sem saneamento básico, particularmente de crianças Imagem: iStock

Do VivaBem, em São Paulo

19/08/2019 18h08

Um grupo de cientistas da Universidade de Virginia, nos Estados Unidos, descobriu como a bactéria Escherichia coli encontra um jeito de causar a pior infecção possível para o corpo. O estudo, publicado no periódico Proceedings of the National Academy of Sciences na sexta-feira (16), pode ajudar os pesquisadores a desenvolverem um método para evitar a infecção, fazendo com que a E. coli se torne inofensiva para o corpo.

"Como parte de suas estratégias de infecção, os patógenos bacterianos determinam precisamente o desenvolvimento de proteínas e toxinas em nichos específicos de colonização, o que permite que eles economizem energia, evitem a detecção pelo nosso sistema imunológico e, finalmente, causem uma doença", disse a pesquisadora Melissa Kendall,

De acordo com Kendall, sabendo como essas bactérias percebem onde colonizarão o corpo, um dia poderão bloquear esse processo. "Podemos, no futuro, evitar que a E. coli, assim como outros patógenos, como a salmonela, saiba onde colonizar, permitindo que ela passe pelo do corpo sem causar uma infecção", disse ela.

A E. coli vive naturalmente no intestino e a maioria das cepas não causa doenças. Mas existem várias cepas que podem causar cólicas, diarreia, vômitos, até mesmo insuficiência renal e morte.

Como o estudo foi feito

  • Os pesquisadores delinearam um processo que as bactérias usam para detectar baixos níveis de oxigênio no intestino grosso e, em seguida, produzem proteínas que permitem que E. coli se ligue às células do hospedeiro e estabeleça a infecção.

  • O oxigênio se difunde pelo tecido intestinal e existem níveis comparativamente mais altos no intestino delgado. A E. coli aguarda especificamente até atingir o intestino grosso com baixo teor de oxigênio antes de atacar.

  • Os pesquisadores descobriram que é uma pequena forma de RNA da E. coli que ativa genes específicos quando os níveis de oxigênio são baixos o suficiente.

  • "Se os cientistas puderem descobrir como bloquear o sensoriamento de oxigênio, poderemos evitar que a E. coli produza proteínas que permitam que ela se atenha às nossas entranhas", disse Kendall. "Esta pode ser uma estratégia eficaz para limitar a infecção e, como não estamos visando o crescimento ou a sobrevivência, a E. coli pode não desenvolver resistência às drogas --ela simplesmente não sabe onde está."

Como se proteger da bactéria

Na maioria das vezes, o contágio com as cepas perigosas da E. coli é por meio de alimentos contaminados. Veja como se prevenir:

1. No preparo de alimentos, sempre limpe as superfícies que tiveram contato com os alimentos crus, antes de iniciar o preparo de outros.
2. Sempre lave as mãos depois de manipular alimentos crus e antes de manipular qualquer utensílio ou outros alimentos.
3 Nunca use o mesmo prato, utensílio ou gavetas para fazer os alimentos, crus, cozidos, etc, sem ter feito a limpeza prévia.
4. Sempre cozinhe a carne, especialmente os bifes, até seu suco desaparecer (somente a 70ºC se inativa a E. coli O 157:H7).
5. Em creches, escolas e outras instituições fechadas, dê maior atenção para crianças pequenas e idosos e observe estritamente a higiene no cuidado desses pacientes.

Fonte: Ministério da Saúde.