Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

O que é e como surge o derrame pleural, quadro que afetou Bruno Cardoso

Vocalista do grupo Sorriso Maroto passou por procedimento ontem (9) - Reprodução Instagram/@bcbrunocardoso
Vocalista do grupo Sorriso Maroto passou por procedimento ontem (9) Imagem: Reprodução Instagram/@bcbrunocardoso

Giulia Granchi

Do VivaBem, em São Paulo

09/08/2019 19h57

Sentindo fortes dores musculares constantes, que atrapalhavam as apresentações do grupo musical Sorriso Maroto, o cantor Bruno Cardoso, de 38 anos, foi diagnosticado com derrame pleural e passará por um procedimento simples para tratar a condição, de acordo com informações da assessoria de imprensa da banda.

O problema é originado na pleura, que é composta por duas membranas que recobrem os pulmões -- uma fica grudada ao órgão e a outra na parede do tórax, formando o espaço pleural, que conta com uma quantidade e mínima de líquido só para evitar atrito. O aumento do volume de água costuma indicar doenças extremamente variadas, podendo originar-se por quadros inflamatórios como a pneumonia, até causas mais graves, como o câncer.

"A cor do líquido já dá uma boa ideia da causa. Se for claro, geralmente indica doenças não relacionadas ao pulmão, como a insuficiência renal ou insuficiência cardíaca. Nesses casos, só é necessário a retirada se o volume for muito grande. Quando há pus ou sangue, é sinal de infecção, inflamação ou neoplasia e pode ser indicado o uso de dreno", explica Elie Fiss, pneumologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

Entre os sintomas, que podem variar de acordo com a causa, estão a dor torácica pleurítica, tosse e dispneia (falta de ar) -- os pacientes podem sentir "pontadas" que pioram com a inspiração profunda e com a tosse.

Conforme informações divulgadas no Instagram do grupo, de acordo com Rafael Pottes, médico pneumologista o cantor realizou um procedimento simples com sucesso ontem (9), mas as causas de sua condição ou o motivo da intervenção não foram mencionados -- apenas que o quadro não tem relação com a miocardite recém-tratada e o repouso recomendado será de aproximadamente um mês.

"O tempo de recuperação é rápido e eu estou muito feliz em poder resolver essas dores que tanto me incomodam, ainda mais com as recentes notícias de evolução na melhora do coração. Em breve estou de volta aos palcos, melhor que antes", afirmou Bruno.