Topo

Benefícios dos alimentos


Tomate previne o câncer de próstata? Conheça os benefícios desse alimento

Getty Images
Imagem: Getty Images

Samantha Cerquetani

Colaboração para o UOL VivaBem

19/07/2019 04h00

O tomate (Solanum lycopersicum) é o fruto do tomateiro e é nativo da América do Sul. Pertence à família das Solanáceas, como o pimentão, o jiló, a berinjela e a batata. Os tipos mais comuns são o tomate carmem, o italiano e o cereja.

É rico nas vitaminas A, B, C, K e minerais como fósforo, potássio, cálcio, magnésio e ferro. A substância que dá a coloração vermelha ao fruto se chama licopeno, é um carotenoide e possui vários benefícios para a saúde, principalmente por sua ação antioxidante.

Por esses motivos, o tomate pode ser considerado um alimento funcional, desempenhando papel importante na prevenção e tratamento de doenças. O licopeno é considerado um nutracêutico, ou seja, um componente alimentar que pode ser isolado e usado como suplemento visando vários benefícios para a saúde. Confira a seguir os principais benefícios do tomate, os riscos e contraindicações e as formas de consumo.

1. Ajuda a prevenir o câncer de próstata

Estudos mostraram que o consumo de tomate e seus produtos estão associados a menor incidência de câncer de próstata, pulmão e estômago. O licopeno é um dos elementos que desempenham papel protetivo. Isso ocorre porque impede a angiogênese, ou seja, a proliferação de vasos e capilares que nutrem as células anormais e o crescimento de células tumorais. Alguns estudos mostram a ligação do consumo de tomates e a redução de incidência do câncer de próstata. No entanto, o licopeno só é ativado adequadamente quando o tomate é consumido cozido.

Também há um estudo que demonstra que os carotenoides podem prevenir o câncer de mama. E a carga de vitaminas e minerais presentes no tomate contribui para fortalecer o sistema imune, o que é importante para prevenir a formação de células malignas.

Mais pesquisas em humanos são necessárias para investigar os possíveis benefícios do licopeno na prevenção ou tratamento de outros tipos de câncer.

2. Faz bem para o coração

Estudos demonstraram que baixos níveis de licopeno e betacaroteno estão associados a um maior risco de problemas cardíacos e acidentes vasculares cerebrais (AVC). Além disso, o licopeno ajuda a baixar o colesterol ruim (LDL) e o estresse oxidativo, o que é muito benéfico para o coração.

3. É benéfico para a pele

O licopeno também contribui para proteger a pele. Um estudo publicado no jornal Photochemical Sciences demonstrou que o consumo de carotenoides ajuda a proteger a pele contra os efeitos danosos da radiação ultravioleta. E outra pesquisa, publicada no The Jornal of Nutrition comprovou que o consumo de pasta de tomate é capaz de proteger a pele contra as queimaduras solares. E consumir frequentemente o tomate ajuda na textura e na saúde da pele, minimizando os poros dilatados, surgimento de acne e erupções cutâneas.

4. Protege os olhos

O tomate é um alimento rico em vitamina A, por isso, é benéfico para a saúde ocular. A vitamina A é fundamental para o funcionamento da retina e sua deficiência está associada a uma série de doenças da visão. Outros componentes do tomate que são benéficos à visão são a luteína e a zeaxantina, além do licopeno, que combate os radicais livres, que também causam malefícios à visão.

5. Ajuda a diminuir a pressão arterial

O tomate também é benéfico para a pressão arterial. Para reduzir a hipertensão, é importante realizar uma dieta pobre em sódio e rica em potássio, pois este mineral tem efeito vasodilatador. Estudos demonstram o efeito positivo do potássio sobre a pressão arterial. Uma porção de 100 g de tomate possui 222 mg de potássio. Portanto, o tomate pode ser considerado uma boa fonte de suplementação de potássio, ajudando a controlar a hipertensão.

6. Diminui o risco de diabetes

O fruto é rico em cromo, mineral relacionado ao metabolismo da glicose cuja deficiência pode favorecer o diabetes tipo 2. O cromo facilita a ação da insulina, permitindo que ela consiga inserir a glicose nas células com maior facilidade. O consumo frequente do fruto pode ajudar as pessoas com diabetes a regular os níveis de açúcar no sangue.

7. Protege as gestantes

O tomate também é considerado um fruto benéfico para a saúde da gestante. Isso ocorre porque ele é rico em vitamina A, que beneficia a visão, em vitamina C, que fortalece o sistema imunológico, e nas vitaminas do complexo B, que melhoram o suporte proteico para ganho de massa muscular e formação da estrutura do bebê. Além de ser rico em potássio e ácido fólico. O potássio equilibra a pressão arterial e diminui as arritmias cardíacas, prevenindo a pré-eclâmpsia, que pode causar convulsão e outras complicações nas gestantes. Já o ácido fólico é benéfico para a formação do feto e também ajuda a prevenir os partos prematuros.

Benefícios em estudo

- Combate a constipação: especialistas apontam que uma dieta rica em água e fibras é fundamental para regularizar o funcionamento do intestino. O tomate é um fruto rico em água e fibras, e pode ser considerado um alimento laxativo, ou seja, que ajuda o intestino a funcionar. Contém também naringenina, um flavonoide que possui ação anti-inflamatória e anticancerígena.

Em um estudo publicado no International Journal of Molecular Medicine pesquisadores observaram o efeito laxativo da naringenina em ratos com constipação induzida e descobriram um efeito positivo do flavonoide para regularizar o funcionamento do intestino

- Reduz sintomas da menopausa: um estudo realizado com 95 mulheres com idade entre 40 e 60 anos mostrou que o suco de tomate pode aliviar os sintomas da menopausa. Elas consumiram cerca de 200 ml de suco de tomate sem sal, duas vezes por dia, durante oito semanas. Como resultado, tiveram menos ansiedade e melhoraram a frequência cardíaca. Mais estudos precisam ser realizados para comprovar esse benefício.

Riscos e contraindicações

O tomate in natura oferece poucos riscos e contraindicações, desde que consumido com moderação. Embora raro, há casos de pessoas que apresentam alergia ao tomate e devem evitar o consumo do alimento. O tomate verde deve ser evitado, pois ele possui uma substância que se chama solanina, que pode provocar sintomas como diarreia, vômitos e outros distúrbios gastrointestinais.

O alimento, seja in natura ou processado, também deve ser evitado por quem tem a doença do refluxo gastresofágico (DRGE), devido à acidez que intensifica os sintomas de desconforto, queimação e refluxo. Outra contraindicação é para quem tem diverticulite, uma inflamação no intestino. A diverticulite forma alças no intestino, onde as sementes do tomate podem ficar alojadas, o que pode gerar inflamação, infecção e piora no quadro.

Formas de consumo

O tomate é um alimento bastante versátil que pode ser consumido em receitas doces e salgadas. É um dos ingredientes principais em saladas de todos os tipos e também da cozinha italiana. O suco de tomate também é muito consumido, com diversos outros ingredientes, como cenoura, maçã e laranja, potencializando os benefícios do alimento. Também pode ser ingrediente de purês, doces e geleias.

A recomendação de consumo é de pelo menos uma unidade média de tomate ao dia, o que corresponde a aproximadamente 100 g, ou então seis unidades do tipo cereja. Antes do consumo, principalmente se for cru, ele deve ser higienizado adequadamente.

Como escolher e conservar

Na hora de escolher, opte por aqueles que possuírem a cor brilhante e são mais firmes. Os totalmente vermelhos servem para consumo imediato ou preparação de molhos. Os tomates podem ser conservados fora da geladeira por alguns dias. E quando forem refrigerados devem ser colocados em sacos plásticos perfurados. O molho de tomate pode ser congelado, mas o tomate cru não pode passar por esse procedimento para não perder seus nutrientes e sabor.

Fontes: Regina Stikan Carrijo, coordenadora de nutrição do Hospital Santa Catarina, Marisa Diniz Graça, nutricionista do Hospital Leforte e Edvânia Soares, nutricionista da Estima Nutrição.

Mais Benefícios dos alimentos