Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Merkel tem três tremores em menos de um mês; o que costuma causar problema?

Chanceler negou ter alguma doença  - Hannibal Hanschke/Reuters
Chanceler negou ter alguma doença Imagem: Hannibal Hanschke/Reuters

Priscila Carvalho

Do UOL VivaBem, em São Paulo

12/07/2019 17h51

Na última quinta-feira (11), a chanceler alemã Angela Merkel voltou a ter tremores durante o encontro com primeiro-ministro finlandês Anttti Rinn. Os espasmos duraram até um minuto e foram percebidos por quase todos que estavam no evento. Esse é o terceiro episódio em menos de um mês.

Por meio de um porta-voz, Merkel disse que as pessoas não precisam se preocupar com ela.

Embora não haja nenhum diagnóstico preciso sobre o que a chanceler tem, tremores podem acontecer devido a várias condições. Abaixo, explicamos as mais comuns.

Tremor ostostático

É uma condição neurológica que ocorre por meio de uma desregulação de um circuito cerebral que controla o ritmo dos movimentos do corpo. Ocorre somente quando a pessoa está em pé e, normalmente, a perna começa a apresentar tremores, que evoluem para o tronco e braços. O fenômeno é considerado raro, mas pode afetar sobretudo mulheres próximo dos 60 anos.

Tremor essencial

Ele ocorre quando a mão fica esticada e a pessoa faz algum movimento para pegar um objeto e, principalmente, quando há ações que precisam de movimentos leves e finos, por exemplo, escrever. O mais comum são tremores nas mãos, que podem atingir a cabeça.

Parkinson

A doença é crônica, progressiva, sem causa conhecida e ocorre devido à morte das células cerebrais, em especial, na área conhecida como substância negra, que produz a dopamina, que auxilia nos movimentos voluntários do corpo. De acordo com as estatísticas, na grande maioria dos pacientes, ela surge a partir dos 55, 60 anos e sua prevalência aumenta a partir dos 70, 75 anos.

O problema provoca tremores rígidos e lentos, levando a uma instabilidade da postura e equilíbrio. Fabio Porto, neurologista do HC-FMUSP (Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo) ressalta que é difícil associar a condição aos tremores da chanceler, já que a maioria dos espasmos acontece quando ela está em pé e, ao andar, costumam passar. "Geralmente, no parkinson, um braço treme mais do que o outro. No caso de Merkel, não há perda de equilíbrio durante suas apresentações, o tremor ocorre em praticamente todo o corpo e não comprometimento da fala", diz.

Tremores provocados por remédios

Alguns medicamentos, como remédios para asmas, antidepressivos e estimulantes podem provocar tremedeira nos membros. Não são todos, mas alguns podem gerar o problema, se o uso for contínuo.

Tem tratamento?

Com exceção do Parkinson, que possui remédios específicos para o problema, os demais tremores são tratados com medicamentos que atuam no receptor chamado GABA, um neurotransmissor inibitório do cérebro. As medicações agem para reduzir os tremores, mas ainda assim não curam o problema.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube