Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Corno cutâneo gigante chama atenção de médicos; lesão pode indicar câncer

Caso aconteceu com mulher indiana - Reprodução/BMJ
Caso aconteceu com mulher indiana Imagem: Reprodução/BMJ

Giulia Granchi

Do UOL VivaBem, em São Paulo

12/06/2019 15h12

Resumo da notícia

  • Idosa indiana apresentava corno cutâneo com cerca de seis centímetros de comprimento, tamanho incomum
  • Na maioria dos casos, a lesão é benigna, mas há chance de indicar câncer de pele, e por isso, precisa ser investigada
  • O tumor pode aparecer em qualquer parte do corpo, mas é mais comum em mãos, pés e locais que recebem luz solar

Pode até parecer maquiagem de filme, mas este chifre, conhecido como corno cutâneo, é real. O caso, publicado no periódico científico BMJ, aconteceu na Índia, e a lesão da fazendeira de 60 anos chamou a atenção dos médicos pelo seu tamanho: cerca de seis centímetros de comprimento.

"Em geral, os casos de cornos cutâneos não são tão raros, mas os pacientes geralmente procuram um médico para a remoção ou o tumor cai sozinho antes de aumentar tanto", explica Caio Lamunier, dermatologista do Hospital das Clínicas de São Paulo.

A lesão é causada pelo espessamento da camada córnea da pele devido a um aumento da produção de queratina e causando a alteração que simula um chifre. As principais causas são verrugas virais, queratose, que é uma lesão causada pelo sol e pode ser seborreica (benigna), actínica (pré-cancerígena), ou, na minoria dos casos, carcinoma espinocelular (maligna).

"No entanto, não se sabe ao certo por que elas alteram a produção queratina na pele", esclarece Jade Cury Martins, coordenadora do Departamento de Oncologia Cutânea da SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia).

Os especialistas apontam que saber o que está na base, causando a alteração, é o mais importante. Mesmo nos casos em que o "chifre" cai sozinho, a visita médica ainda é recomendada --em caso de suspeita de câncer, o tumor deve ser, além de removido, submetido à biópsia. "Se a causa não for tratada, o corno cutâneo pode voltar a aparecer, e em quadros de câncer, a doença pode avançar, comprometendo a saúde do paciente", expõe Martins.

A presença ou tamanho da lesão não indicam gravidade e ela é formada somente por queratina e não é contagiosa.

"Pode aparecer em qualquer parte do corpo, mas é mais comum que as alterações causadas por verrugas apareçam nas mãos e pés, e por queratose, em áreas mais expostas ao sol", conclui Lamunier.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube