Topo

Tudo sobre DSTs

Sintomas e tratamentos das principais DSTs


Tudo sobre DSTs

Atriz de "Desperate Housewives" revela câncer anal causado por HPV

90% dos casos de câncer anal são causados pelo HPV - Getty Images
90% dos casos de câncer anal são causados pelo HPV Imagem: Getty Images

Do UOL VivaBem, em São Paulo

09/06/2019 16h46Atualizada em 13/06/2019 20h11

Resumo da notícia

  • 90% dos casos de câncer anal são causados por HPV
  • O vírus causa ainda câncer de colo de útero, genitais e garganta
  • Já existe vacina contra o HPV que pode prevenir este tipo de câncer

Porta-voz contra o estigma do câncer anal no último ano, a atriz Marcia Cross, que interpretou a personagem Bree Van De Kamp na série "Desperate Housewives", revelou agora a provável causa da doença: o HPV (Papilomavírus Humano).

Durante o programa "CBS This Morning" que passou esta semana, a artista contou que os médicos suspeitaram que seu câncer teria surgido a partir do mesmo tipo de HPV que causou um câncer de garganta em seu marido em 2009.

Cross não sabia que o mesmo vírus poderia estar por trás de ambos tipos de câncer. Mas o HPV, responsável por mais de 90% dos casos de câncer anal, também causa câncer de colo do útero, genitais e garganta. A contaminação é primordialmente pelo sexo, mas apenas o contato com a pele infectada já é capaz de transmitir o vírus.

A boa notícia é que já existe vacina contra HPV, que deve ser dada tanto para meninos quanto para meninas antes do início da vida sexual. Existem cerca de 150 tipos de HPV, mas 14 são associados ao aumento de risco de câncer.

A atriz descobriu o tumor durante uma consulta de rotina na ginecologista, que fez um exame digital no reto. Após um ano e sessões de químio e radioterapia, ela está em remissão da doença.

"Eu quero ajudar a colocar um fim no estigma que cerca o câncer anal. Eu li muitas histórias de sobreviventes de câncer, e muitas pessoas, especialmente mulheres, ficavam envergonhadas de dizer o tipo de câncer tiveram. Há muita vergonha cercando o assunto. Eu quero que isso pare", revelou para a revista People em março.

Doença preocupa

O aumento da incidência de casos de câncer decorrentes do HPV foi um dos assuntos discutidos na edição 2019 do Encontro da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (ASCO), o maior evento de oncologia do mundo, ocorrido em Chicago entre 31 de maio e 4 de junho.

A vacinação foi apontada como uma das melhores formas de prevenção, mas no Brasil, apenas 48,7% das meninas com idades entre 9 a 14 anos - população-alvo recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) - foram vacinadas. A imunização é gratuita pelo SUS (Sistema único de Saúde).

"Na Austrália, por exemplo, 90% das pessoas são vacinadas e lá a curva de incidência da doença tem diminuído muito", reforça o oncologista Roberto Gil, do Grupo Oncoclínicas do Rio de Janeiro.

Aumento por causa do HPV

O câncer anal ocorre no canal e nas bordas externas do ânus. Esse tipo de tumor representa de 1% a 2% de todos os tumores colorretais e de 2 a 4% de todos os tipos de câncer que acometem o intestino grosso.

As mulheres geralmente descobrem que têm câncer anal com 62 anos, enquanto os homens descobrem em média aos 59 anos. Como ele se espalha devagar, as chances de cura são grandes.

Este tipo de câncer geralmente é diagnosticado em exames de toque, anuscopia ou proctoscopia que detectam a presença de lesões pré-cancerígenas. Os sinais mais comuns são sangramento, dor na região e alteração nas fezes. Em alguns casos, também há incontinência fecal.

"A geração de jovens e adultos com menos de 30 anos preza e valoriza muito a liberdade sexual. Trata-se de um grupo que nasceu após o boom do HIV e, apesar de bem informada e consciente dos riscos envolvendo doenças sexualmente transmissíveis, apresenta índices elevados de contágio pelo chamado papilomavírus humano. Após o contágio, ao menos 5% dessas brasileiras desenvolvem alguma doença (lesões do colo do útero, condilomas e outras menos frequentes). E o vírus é responsável por cerca de 70% dos cânceres cervicais", diz Andrey Soares, oncologista do Grupo Oncoclínicas em São Paulo.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube

Errata: o texto foi atualizado
Em 5% dos casos de contágio por HPV as mulheres não vão desenvolver câncer de colo de útero, como informado anteriormente, mas doenças relacionadas e preliminares ao câncer. A informação já foi corrigida.

Mais Tudo sobre DSTs