Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Estudo confirma 12 reações adversas de vacinas, e maioria delas é rara

Pode ficar tranquilo ao tomar vacinas, elas não causam autismo, diabetes, asma... - Natali_Mis/iStock
Pode ficar tranquilo ao tomar vacinas, elas não causam autismo, diabetes, asma... Imagem: Natali_Mis/iStock

Do UOL VivaBem

27/04/2019 12h49

Resumo da notícia

  • As vacinas são importantes para proteger a população de doenças, mas algumas pessoas deixam de se imunizar com medo de reações
  • Um novo estudo aponta que apenas 12 efeitos adversos estão associados à vacinação, e muitos deles são raros
  • Os pesquisadores ainda não encontraram nenhuma relação das vacinas com problemas como autismo, asma, diabetes e esclerose múltipla

As vacinas são uma importante ferramenta para proteger a população de doenças que podem causar complicações graves de saúde e até morte, como meningite, febre amarela, gripe, sarampo. Apesar disso, muitas pessoas preferem não receber a imunização por conta de alguns mitos que envolvem o assunto, por exemplo, os de que as vacinas podem causar autismo, diabetes, asma etc.

Uma nova revisão de trabalhos científicos, realizada por cientistas da Universidade Johns Hopkins (EUA), analisou 47 eventos adversos pós-vacinação (EAPV) já estudados em outras pesquisas, e encontrou evidências que comprovam apenas 12 reações provocadas pela imunização, sendo que a maioria é rara.

Os 12 eventos adversos confirmados e relacionados às vacinas mais comuns foram:

  1. Anafilaxia (reação que pode gerar irritação na pele, vômito e dificuldade para respirar);
  2. Artralgia/ artrite (dor leve, aguda e transiente, não crônica);
  3. Bursite deltoide (quando a vacina é administrada indevidamente);
  4. Infecção disseminada por varicela (em indivíduos imunodeficientes, para quem a vacina contra catapora é contraindicada);
  5. Encefalite;
  6. Convulsões febris;
  7. Síndrome de Guillain-Barré,
  8. Hepatite (em indivíduos imunodeficientes, para quem a vacina contra catapora é contraindicada);
  9. Herpes zoster;
  10. Púrpura trombocitopênica;
  11. Meningite;
  12. Síncope (desmaio).

O médico imunologista Matthew Dudley, um dos autores da pesquisa, ressaltou que a maioria dessas reações é rara e não deve inibir as pessoas de receberem as imunizações recomendadas pelas organizações de saúde. "As vacinas têm um excelente perfil geral de segurança e fornecem proteção contra doenças infecciosas à população geral", reforçou Dudley.

As vacinas não provocam estes efeitos adversos

No grupo pesquisado, os cientistas não encontraram os outros 35 eventos adversos pós-vacinação (EAPV) que alguns órgãos de saúde, como a OMS (Organização Mundial da Saúde), listam que pode ocorrer --por exemplo, icterícia, lesões generalizadas, mielite (inflamação da medula espinhal), orquite (inflamação dos testículos), úlceras etc.

Os cientistas ainda concluem que as evidências encontradas mostram claramente que:

  • Vacinas contra gripe não causam asmas;
  • Vacinas infantis não estão associadas ao autismo;
  • Vacinas não geram diabetes;
  • Vacinas dadas a pessoas imunocompetentes não provocam hepatite;
  • Vacinas contra influenza em adultos não geram esclerose múltipla;
  • Vacinas contra difteria, tétano e coqueluche (DTP) e contra hepatite B não causam síndrome da morte súbita infantil.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube

Saúde