PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Homem tem parte do pênis amputada após ereção de 48 horas; entenda

Antidepressivos e estimulantes sexuais podem provocar condição - Istock
Antidepressivos e estimulantes sexuais podem provocar condição Imagem: Istock

Priscila Carvalho

Do UOL VivaBem, em São Paulo

09/04/2019 17h11

Resumo da notícia

  • Homem tem ereção por 48 horas e é internado na King George's Medical University, na Índia
  • Médicos utilizam bisturi para liberar sangue, mas o ferimento começou a gangrenar e a ponta do pênis teve que ser amputada
  • Caso é considerado incomum e o normal é ter uma ereção de até três horas
  • Se a condição se prolongar por muito tempo, o indivíduo deve procurar imediatamente um hospital

Um homem de 52 anos teve parte do pênis amputado depois de ficar com o órgão ereto por 48 horas. O caso aconteceu na Índia, na King George's Medical University, e as informações foram publicadas no periódico BMJ Case Reports.

De acordo com o relatório, os médicos fizeram um procedimento de emergência e usaram um bisturi para liberar o sangue e reduzir o inchaço.

Mas o que parecia ter sido uma cirurgia de sucesso se tornou um problema. Depois de alguns dias da recuperação, o ferimento começou a gangrenar, a ponta do pênis do indiano ficou preta e, para evitar uma infecção, os médicos optaram por retirar a "cabeça" do órgão.

O homem foi liberado dois dias depois do procedimento e os médicos não conseguiram explicar o que pode ter causado a ereção tão extensa.

Como o pênis fica ereto por tanto tempo?

Quando o órgão sexual fica muito tempo estimulado, a condição é conhecida como priapismo, que é caracterizada por uma ereção involuntária e prolongada. De acordo com Carlos Da Ros, coordenador geral do Departamento de Sexualidade e Reprodução da SBU (Sociedade Brasileira de Urologia), o normal é o indivíduo fique com o pênis ereto por no máximo três horas. Quando ultrapassa esse tempo, deve-se ir imediatamente ao hospital.

Segundo o especialista, um dos erros mais comuns é ignorar a dor na região --que surge pois o pênis não foi feito para ficar ereto por tanto tempo -- e achar que a excitação vai passar com o tempo. Ao negligenciar os sintomas, o indivíduo pode ficar até impotente ou perder parte do pênis, assim como ocorreu com o indiano.

O que causa excitação prolongada?

São diversos fatores que levam a este processo. Como não sabemos se o paciente havia tomado algum estimulante sexual ou fazia uso de medicamento, não podemos afirmar a causa específica.

No entanto, alguns antidepressivos, medicamentos que proporcionam ereção prolongada e remédios para anemia falciforme podem ocasionar o problema. Mas vale o alerta que nem sempre todo homem que faz uso dessas drogas ficará com esse tipo de ereção e que o caso é considerado incomum.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube

Saúde