PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Pessoa "reclamona" e tóxica? Não é pessimismo, ela pode estar com depressão

Irritabilidade frequente pode ser sintoma de depressão e deve ser investigada  - iStock
Irritabilidade frequente pode ser sintoma de depressão e deve ser investigada Imagem: iStock

Priscila Carvalho

Do UOL VivaBem, em São Paulo

27/03/2019 09h34

Resumo da notícia

  • Embora não seja o sintoma mais comum, irritabilidade constante também pode ser sinal de depressão
  • A doença ainda tem outros sinais como perda de memória, falta de apetite e sensação de indiferença
  • A depressão nunca aparece sozinha. Sempre vem acompanhada de tristeza e outros sintomas

Você já conviveu com alguém que murmurava o dia inteiro e era taxada como extremamente grossa? Embora não seja o sintoma mais comum, irritabilidade frequente pode ser um alerta para a depressão. Isso mesmo. Aquela pessoa que dá "patadas" constantemente, vive de mal com a vida e sempre aparece com ar melancólico pode estar sofrendo com a doença.

Para ser diagnosticado com a condição, é necessário que o indivíduo tenha tristeza excessiva e falta de vontade ao fazer as coisas. No entanto, sinais que são mais comuns do que imaginamos e podem passar desapercebidos também podem indicar o problema. Abaixo, explicamos cada um deles:

Irritabilidade

É uma característica que pode estar presente na depressão e em outras doenças psiquiátricas. Tende a se manifestar com maior frequência em homens e adolescentes. Muitas vezes, sem perceber, a pessoa usa mecanismos e falas grosseiras para tratar determinado colega. Além desse sintoma, sente uma tristeza profunda dentro de si.

Falta de energia

O indivíduo sente uma dificuldade enorme em fazer as coisas. Muitas vezes consegue trabalhar, mas o processo é complicado e realizado com tristeza.

Falta ou apetite excessivo

A depressão é uma doença biológica que pode provocar sintomas físicos. Um dos principais é a falta de apetite. A fome desaparece e cada refeição passa desapercebido pela pessoa. O contrário também ocorre. Muitas vezes, a fome excessiva pode ser um dos principais sintomas da condição. A pessoa acorda faminta e acaba comendo sem parar, aumentando o risco de desenvolver quadros de compulsão alimentar.

Isolamento

Falta vontade em sair de casa, fazer coisas simples e todo evento ou convite se torna motivo de recusa. Ficar em casa dormindo e isolado das pessoas --inclusive do seu círculo de amizades mais próximas -- se torna frequente. O quarto ou local em que a pessoa consegue ficar sozinha se torna seu principal refúgio.

Perda de memória

A depressão afeta o cérebro ao ponto de a pessoa não conseguir se concentrar totalmente, prejudicando principalmente a tomada de decisão. Situações simples, como comprar um objeto, podem ser tornar extremamente difíceis.

Sentimento de culpa

A sensação de que fez algo errado sempre está presente e sentimentos ruins do passado começam a aparecer. Em casos extremos, há vontade de se matar e pensamentos constantes associados à morte.

Sensação de indiferença

A pessoa tende a não chorar mais e sente que está "anestesiada" para as situações alegres ou tristes do dia a dia. Em alguns casos, pode até falar que nem chora mais com determinado assunto ou contexto que está inserida.

Fonte: Ana Paula carvalho, psiquiatra e coordenadora da liga de depressão da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo).

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube

Saúde