PUBLICIDADE

Topo

Movimento

Inspiração pra fazer da atividade física um hábito


Movimento

Como usar o mindfulness para melhorar a performance nos seus treinos

O mindfulness está em alta como ferramenta para tornar mais eficientes a preparação, o treinamento e a recuperação de atletas - iStock
O mindfulness está em alta como ferramenta para tornar mais eficientes a preparação, o treinamento e a recuperação de atletas Imagem: iStock

Marcia Di Domenico

Colaboração para o UOL VivaBem

18/12/2018 04h00

A esta altura, você já deve ter ouvido falar em mindfulness, a prática de colocar atenção total naquilo que está fazendo no momento --seja escovando os dentes, preparando o jantar ou preenchendo um relatório de trabalho -- para ganhar mais controle sobre a própria vida, driblar o estresse e viver melhor. Parece simples, mas hoje em dia não é, não: a velocidade da vida moderna nos coloca em estado de desatenção e ações automatizadas.

Apesar de o método não ter sido criado com foco na performance esportiva, está em alta como ferramenta para tornar mais eficientes a preparação, o treinamento e a recuperação de atletas amadores e profissionais de diversas modalidades. Isso é devido ao potencial de aumentar o foco, a motivação e a resiliência e por reforçar a conexão entre corpo e mente, colocando os dois no mesmo lugar não só no momento da prática, mas durante a maior parte do tempo. 

Tanto é assim que grandes marcas esportivas estão aplicando os conceitos da atenção plena (como o termo mindfulness vem sendo traduzido por aqui) na criação de serviços, eventos e produtos. Trata-se da confirmação do que há alguns anos era apontado como tendência: uma abordagem holística do fitness, ou seja, malhar para ficar forte física e emocionalmente. Cada vez mais as pessoas querem cuidar da mente, e não só da estética, quando procuram uma atividade física.

Tanto que não faltam empresas que entrando emsintonia com a onda mindful: algumas unidades da rede Bodytech no Rio Janeiro incluíram na grade de aulas sessões de meditação e respiração. Em junho deste ano, a Asics montou uma pista fechada de corrida em Londres e realizou um experimento em que atletas completaram 5K no escuro, sem música ou cenário. A ideia era testar o comportamento da mente em um ambiente livre de estímulos, em que a corrida acaba se tornando uma espécie de experiência meditativa. A Nike selou uma parceria com o aplicativo de meditação Headspace e passou a oferecer sessões de corrida guiadas por áudio e dicas para aproveitar com atenção plena o treino na academia.

Mas aplicar ideias do mindfulness na sua atividade física (não importa se ioga, musculação ou boxe) é simples. Veja como:

Respirando na corrida/ descansando no treino/ Cansar no treino - iStock - iStock
Cada vez mais as pessoas querem cuidar da mente, e não só da estética, quando procuram uma atividade física
Imagem: iStock

1. Foque no corpo

Aproveitar o tempo em cima da esteira para pensar em soluções para os problemas ou fazer ligações de trabalho impede que você se concentre no que importa: a pisada, o impacto do pé contra o chão, o músculo contraindo e as sensações físicas enquanto malha. Monótono? Transforme o momento do exercício em uma meditação livre de distrações contando as passadas (ou braçadas ou pedaladas, dependendo da sua atividade)

2. Deixe a tecnologia de lado

Relógio que conta os batimentos cardíacos. Fones de ouvido sem fio. Pulseira que monitora os passos e o sono. É claro que esses acessórios dão informações úteis e ajudam quem treina por resultados, mas focar demais neles acaba distraindo do movimento, o que aumenta o risco de se lesionar e impede que você curta o flow - quando se fica tão absorvido pela atividade, que não percebe o esforço nem vê o tempo passar, como no "barato" da corrida. Sempre que possível, dispense esses equipamentos e tente focar na respiração, na postura, em cada parte do corpo enquanto você se movimenta.

3. Perceba o ambiente

Se o treino for ao ar livre, deixe os fones de ouvido em casa e preste atenção aos detalhes e cores do lugar, ao sol e ao vento batendo na pele, à superfície onde está pisando, aos sons em volta.

4. Pratique o que dá prazer

Fazer uma atividade porque você gosta, e não porque está na moda ou promete queimar muitas calorias, também é mindful. E não precisa ficar só nas modalidades zen. A combinação de funcional ou HIIT (treino intervalado de alta intensidade) com meditação já é realidade em estúdios dos Estados Unidos

5. Aceite desafios

Pode ser correr uma maratona, fazer aquela invertida da ioga que você morre de inveja nas redes sociais ou uma aula avançada de crossfit. Escolha com responsabilidade uma tarefa que sempre quis fazer, mas o medo ou a insegurança ainda não deixou, e vá em frente, sem se pressionar por resultado. O que importa é entrar em contato com seus limites e com a sensação de enfrentá-los.

Fontes: Marcelo Czermak Garcia, doutor em psicologia pela Unifesp e especialista em mindfulness; Mariela Silveira, médica nutróloga e especialista em mindfulness do Kurotel Centro Médico de Longevidade & Spa, Eduardo Netto, diretor técnico da rede de academias Bodytech.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube

Movimento