Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Vapor do cigarro eletrônico enfraquece sistema imunológico no pulmão

Vapor de cigarros eletrônicos pode ser responsável por desativar as principais células do sistema imunológico no pulmão - iStock
Vapor de cigarros eletrônicos pode ser responsável por desativar as principais células do sistema imunológico no pulmão Imagem: iStock

Do VivaBem, em São Paulo

16/08/2018 15h37

Existe um boato de que fumar cigarros eletrônicos não traz tantos prejuízos à saúde quanto o tradicional, mas não é bem assim. Várias pesquisas já mostraram que o dispositivo aumenta o risco de diversas doenças, incluindo AVC e infarto. Um novo estudo, publicado na revista científica Thorax, revela ainda que o vapor de cigarros eletrônicos pode ser responsável por desativar as principais células do sistema imunológico no pulmão e aumentar inflamações organismo.

Especificamente, a pesquisa mostrou que o cigarro eletrônico aumenta o nível de produtos químicos inflamatórios e atrapalha o funcionamento de macrófagos alveolares, que são células que protegem o trato respiratório ao englobar e remover partículas perigosas, como poeira, bactérias e alérgenos.

Veja também:


Para chegar a essa conclusão, os cientistas extraíram macrófagos alveolares de amostras de tecido pulmonar fornecidas por oito não fumantes que nunca tiveram asma ou doença pulmonar obstrutiva crônica.

Em seguida, as células foram divididas em três grupos: as que não tiveram nenhuma interferência, as que foram expostas ao fluído de cigarros eletrônicos, e, por último, as que passaram por diferentes intensidades do vapor do cigarro eletrônico com e sem nicotina.

Os resultados mostraram que a exposição ao vapor foi mais prejudicial para as células do que o próprio fluído de cigarro eletrônico, e que os efeitos pioram de acordo com o aumento da “dose”.

Após 24 horas de análise, o número total de células expostas ao vapor foi significantemente reduzido, e o vapor contendo nicotina piorou este efeito. A exposição ao vapor também aumentou a morte celular e a produção de produtos químicos inflamatórios --em grau maior quando a "fumaça" tinha nicotina.

Além disso, a capacidade das células expostas ao vapor de englobar as bactérias nocivas foi significativamente prejudicada, embora um tratamento com antioxidante tenha restaurado essa função.

De qualquer forma, os pesquisadores afirmaram que é preciso tomar cuidado com os cigarros eletrônicos e fazer mais estudos para provar seus efeitos, tanto no fluído quanto no vapor.

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook • Instagram • YouTube