PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Amor contra esquecimento? Sexo melhora a memória na velhice, segundo estudo

iStock
Imagem: iStock

Do VivaBem, em São Paulo

09/06/2018 14h58

Quer envelhecer com a mente sã e uma boa memória? A dica científica do dia é boa: transe. Segundo uma nova pesquisa, o sexo é uma das maneiras de reduzir a perda de memória. O estudo, publicado na revista Archives of Sexual Behavior, foi liderado por Mark Allen, da Universidade de Wollongong, na Austrália.

Os cientistas analisaram dados de mais de 6 mil adultos com mais de 50 anos e colheram informações sobre sua dieta, saúde, bem-estar e status socioeconômico. Além disso, todos os voluntários completaram um teste de memória e um questionário onde relataram sua frequência sexual. Após dois anos dos primeiros resultados, os voluntários completaram outro teste de memória.

Veja também:

Comparando as respostas, foi possível notar que aqueles com atividades sexuais mais frequente, incluindo beijos e maior proximidade emocional, tinham melhor desempenho da memória -e esse elo foi ainda mais forte entre os participantes mais velhos.

No geral, o desempenho de memória das pessoas piorou ao longo dos dois anos (o que acontece normalmente com o passar dos anos), mas a atividade sexual pareceu ajudar a memória de curto prazo. Não houve evidências quanto a memória de longo prazo.

De qualquer forma, Allen concluiu que a intimidade pode estimular a memória, ativando áreas do cérebro como o hipocampo. E ele não foi o primeiro a deduzir tal fato. Segundo levantamento feito pelo site Business Insider, outras pesquisas mostram resultados no mesmo caminho.

Em 2010, por exemplo, um estudo publicado no jornal científico PLOS One descobriu que a atividade sexual poderia promover o crescimento de células no hipocampo. Outra pesquisa, que acompanhou 1.700 voluntários de 58 a 98 anos na Universidade de Manchester, descobriu que as pessoas tinham melhor poder cerebral se ainda fossem sexualmente ativas.

A atividade sexual mais frequente também foi associada à melhoria da função cerebral em adultos mais velhos, de acordo com um estudo realizado pelas universidades de Coventry e Oxford, que também descobriu que o sexo melhorou os resultados de toda uma série de testes, incluindo fluência verbal, capacidade de perceber objetos visualmente e julgar o espaço entre os objetos.

Pronto, agora você tem mais desculpas para fazer sexo -se é que precisava de alguma.

Os benefícios, segundo os pesquisadores, acontecem graças ao "reflexo sexual", produzido pela liberação de hormônios dopamina e ocitocina, que podem influenciar a percepção e o desempenho das pessoas.

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook • Instagram • YouTube

Saúde