Topo

Alimentação

Ideias e informações para você comer melhor


Alimentação

Cientistas descobrem fatores que provocam a alergia alimentar em crianças

iStock
Imagem: iStock

Do VivaBem

06/04/2018 13h17

As causas da alergia alimentar na infância eram um mistério para a ciência. Agora, um novo estudo, publicado nesta sexta (6) no periódico Journal of Allergy e Clinical Immunology, descobriu que ela está relacionada a fatores ambientais e genéticos, que juntos desencadeiam o problema.

De acordo com a pesquisa da Universidade Northwestern, nos Estados Unidos, a alergia alimentar acontece quando os seguintes fatores ocorrem juntos: uma mutação genética que altera a absorção da pele; o uso de lenços umedecidos infantis que deixam sabão na pele; a exposição da pele a alérgenos contidos na poeira; a exposição da pele a alimentos considerados alérgenos.

Veja também:

Testes em ratos podem ajudar no tratamento

A evidência clínica mostra que até 35% das crianças com alergias alimentares têm dermatite atópica e muito disso é explicado por pelo menos três mutações genéticas diferentes que reduzem a barreira da pele. Pensando nisso, para o estudo, a pesquisadora usou um modelo de camundongo com mutações na barreira da pele e tentou expor a pele do animal a apenas um alérgeno alimentar, como o amendoim, que sozinho não teve efeito algum sobre o animal.

"Então, eu pensei que os bebês também são expostos a alérgenos ambientais, como a poeira em uma casa. Por mais que um recém-nascido não coma alérgenos alimentares, ele está sendo afetado por meio da pele”, explica Joan  Cook-Mills, autora do estudo e professora de alergia imunológica na Faculdade de Medicina Feinberg, da Universidade Northwestern. “Por exemplo, um irmão que acabou de comer manteiga de amendoim e beija o bebê. Ou um pai que está preparando comida com amendoim e depois lida com o bebê."

A alergia alimentar é uma reação do sistema imunológico desagradável ou perigosa após a ingestão de determinado alimento - iStock
A alergia alimentar é uma reação do sistema imunológico desagradável ou perigosa após a ingestão de determinado alimento
Imagem: iStock

Em seguida, ela ainda leu estudos sobre alguns compostos de sabão que eram absorvidos pela pele e percebeu que o mesmo acontece com os lenços umedecidos usados em bebês. A camada superior da pele é feita de gorduras e o sabão nos lenços perturba essa barreira, explica a pesquisadora.

Nos estudos pré-clínicos, os ratinhos neonatais com as mutações na barreira da pele foram expostos a alérgenos alimentares, como proteínas de ovos e amendoim, alérgenos em poeira (ácaros) e a um sabão presente em lenços de limpeza infantis. Os animais tiveram reações alérgicas no local da exposição da pele e no intestino e anafilaxia, uma reação grave que pode ser fatal. Os resultados fornecem uma base para testar intervenções que irão bloquear mais eficazmente o desenvolvimento de alergia alimentar em bebês e crianças, segundo Cook-Mills.

Fatores de risco de alergia alimentar podem ser prevenidos

A boa notícia é que fatores que levam à alergia alimentar podem ser modificados no ambiente doméstico, diz a autora do estudo. "Reduza a exposição da pele do bebê aos alérgenos alimentares, lavando as mãos antes de cuidar dele. Limite o uso de lenços umedecidos infantis que deixam sabão na pele. Que tal lavar o bebê com sabão e água, como costumávamos fazer anos atrás?", sugere a pesquisadora.

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook • Instagram • YouTube

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Alimentação