PUBLICIDADE

Topo

OMS almeja vacinar 40% da população mundial contra a covid até o fim do ano

Para isso, é necessário que mais doses sejam compartilhadas por países e fabricadas pelas farmacêuticas, alertou Tedros Adhanom - Denis Balibouse
Para isso, é necessário que mais doses sejam compartilhadas por países e fabricadas pelas farmacêuticas, alertou Tedros Adhanom Imagem: Denis Balibouse

Gabriel Caldeira

Em São Paulo

18/06/2021 11h42Atualizada em 18/06/2021 13h56

O objetivo da OMS (Organização Mundial da Saúde) é vacinar 40% da população mundial contra a covid-19 até o fim de 2021, com 10% imunizada até o fim de setembro e 70% até o meio do ano que vem, segundo afirmou hoje o diretor geral do órgão multilateral, Tedros Adhanom, durante entrevista coletiva.

Para isso, contudo, é necessário que mais doses sejam compartilhadas por países e fabricadas pelas farmacêuticas, alertou o diretor geral.

Segundo ele, a "falha" no compartilhamento dos imunizantes tem criado uma "pandemia de duas vias", com diversas regiões com casos e mortes ainda em alta, como a América Latina e África.

De acordo com o consultor sênior da OMS, Bruce Aylward, cerca de 30 a 40 países tiveram de pausar a distribuição da segunda dose das vacinas aos grupos prioritários por baixo suprimento.

A interrupção de exportações pela Índia, após a última onda local de infecções, está entre as principais causas da falta de imunizantes, afirmou.

Brasil

A OMS vê "com muita tristeza" a situação da pandemia no Brasil, à medida que o país chega perto de atingir oficialmente 500 mil mortes por covid-19, disse a vice-diretora geral da entidade, Mariângela Simão.

A médica brasileira ressaltou que as infecções nas Américas ainda estão em patamares "muito altos", incluindo no Brasil, apesar da desaceleração recente.