Topo

Alimentação

Ideias e informações para você comer melhor


Alimentação

12 dicas para os alimentos durarem mais na geladeira e evitar desperdício

iStock
Imagem: iStock

Raquel Drehmer

Colaboração para o UOL VivaBem

16/05/2019 04h00

Comprar comida a mais, não planejar seu uso e acabar despejando no lixo uma parte do que estava na geladeira é um clássico da vida contemporânea. Além do desperdício de alimentos, a lembrança do dinheiro gasto desnecessariamente chega a causar um pequeno sofrimento.

Mas não precisa ser assim: armazenando os alimentos de forma correta dentro da geladeira, fazendo usos espertos quando eles estiverem começando a passar do ponto e dando a eles o tratamento necessário para congelá-los antes que estraguem é fácil e evita perdas.

Confira, a seguir, 12 dicas para aproveitar ao máximo cada alimento que entrar na sua geladeira. A lista foi elaborada com o auxílio de Gislaine Andrade, professora do Bacharelado em Nutrição do Centro Universitário SENAC, e Elizabete Lourenço da Costa, professora de bioquímica de alimentos, bromatologia (ciência dos alimentos) e tecnologia de alimentos do curso de Nutrição da Universidade Anhembi Morumbi.

  • iStock

    Não coloque alimentos quentes na geladeira

    Em alimentos crus, o choque térmico causa rachaduras nas cascas e nas folhas, facilitando a ação de bactérias e micro-organismos que aceleram a deterioração deles. No que diz respeito a alimentos preparados (assados, cozidos, fritos), o problema está no prejuízo que eles causam na refrigeração em si: o vapor quente que eles soltam muda a dinâmica da refrigeração, empurrando o ar frio para baixo. Isso significa que o que estiver perto dessa panela ou dessa vasilha quente poderá ter a conservação comprometida. O ideal é esperar que eles fiquem em temperatura ambiente. Ao voltar da feira ou do supermercado em um dia quente, deixe os alimentos crus descansarem à sombra por alguns minutos para esfriarem; após o fim das refeições, tampe as panelas e espere a temperatura dos alimentos baixar.

  • iStock

    Armazene os alimentos em saquinhos virgens

    Os saquinhos coloridos de feiras e de supermercados são apropriados para transporte, não para armazenamento, pois costumam ter bactérias e micro-organismos vindos do manuseio que sofreram por parte dos vendedores (de feiras) ou dos caixas (de supermercados) --pessoas que lidam com dinheiro, uma das coisas mais "sujas" do nosso dia a dia. Para guardar os alimentos na geladeira, o ideal é usar sacos transparentes virgens.

  • iStock

    Passe um pano úmido nas frutas antes de levá-las à geladeira

    As frutas costumam ter ao seu redor restos de açúcares que "escaparam" quando elas foram retiradas da natureza e que podem acelerar seu processo de degradação, mesmo estando na geladeira. Passar um pano úmido em cada uma delas evita esse transtorno. Mas atenção: não se deve lavar as frutas, para não tirar delas a cera natural protetora; a lavagem com água em abundância deve ser feita apenas imediatamente antes do consumo.

  • iStock

    Seque as folhas de verduras e as embale em papel toalha

    Mesmo que seja em gotículas, a água transmite o frio mais rapidamente para as folhas e as queima. Por isso, é importante secar as folhas com papel toalha e embalá-las também em papel toalha (seco, naturalmente) antes de colocá-las em saquinhos virgens transparentes para levá-las à geladeira.

  • iStock

    Mantenha maçãs e peras longe de folhas verdes

    Maçã e pera emitem gás etileno, que promove o amarelamento das folhas verdes. Por isso, mantenha-as distantes umas das outras ou armazene essas frutas na geladeira em saquinhos hermeticamente fechados, que impeçam a emissão desse gás.

  • iStock

    Transfira lácteos, queijos e frios para potes plásticos ou de vidro

    O plástico filme usado para embalar queijos e frios após a pesagem nos supermercados é frágil demais, sofre microfissuras ao ser aberto e deixa os alimentos expostos à contaminação por bactérias e micro-organismos, mesmo na geladeira. O recomendado é descartá-los e transferir os alimentos para potes plásticos ou de vidro com tampa.

  • iStock

    Faça uma sopa com os legumes que estiverem passando do ponto

    Cenoura, beterraba, mandioquinha, mandioca e chuchu que estiverem chegando perto de estragar são salvos de ir para o lixo ao ser transformados em uma bela sopa. Ela pode ser consumida imediatamente e também ser congelada em porções individuais para consumo posterior.

  • iStock

    "Branqueie" cenoura, vagem e legumes em geral e os congele

    O branqueamento é uma técnica de conservação que consiste em colocar pedaços sem casca de alimentos em água fervente por três a cinco minutos e em seguida transferi-los para água gelada pelo mesmo período --isso inativa as enzimas que causam sua deterioração. Depois de branqueados, os alimentos devem ser colocados em saquinhos virgens ou em potes plásticos e levados ao congelador, onde duram até seis meses. O uso, ao serem retirados, é o mesmo que seria feito com eles frescos.

  • iStock

    Faça um molho com os tomates maduros demais

    Tomates maduros demais são aqueles bem vermelhos e já meio moles; não ficam bons em saladas, pois a textura está "esfarelenta", mas também não estão estragados a ponto de serem jogados fora. A melhor saída para eles é virar molho. Primeiro, tire a casca, corte cada tomate em pedaços grandes e leve tudo ao liquidificador com um pouco de água (pouco mesmo, cerca de 50 ml); bata até ficar uma mistura homogênea. Em seguida, transfira esse líquido para uma panela e a leve ao fogo até ferver. Use imediatamente ou coloque em potes de porções individuais, espere esfriar e os leve ao congelador. Esse molho deve ser consumido em até seis meses.

  • iStock

    Faça polpas e compotas com as frutas maduras

    Frutas mais delicadas, como morango e cereja, são ideais para virar polpa quando estão quase passando do ponto. O processo é o mesmo do molho de tomate, mas sem a parte da fervura: basta bater as frutas no liquidificador com um pouco de água até ficar uma mistura homogênea, acondicionar em potes plásticos para uso individual e levar ao congelador. Essa polpa pode ser usada posteriormente para fazer sucos e vitaminas. Já frutas mais resistentes, como maçãs, que à medida que amadurecem demais ficam ?machucadas? (com pontos moles ou escuros) têm como melhor destino virar compota. Deve-se dissolver 1 colher de chá de açúcar em um litro de água, colocar a fruta sem casca e cortada em pedaços nesse líquido e levar ao fogo até ferver. A compota pode ser mantida na geladeira (se a previsão de consumo for breve) ou no congelador (se não houver previsão de consumo próximo) e consumida pura ou em receitas de bolos, doces e vitaminas.

  • Getty

    Cozinhe a carne crua que está sobrando na geladeira e congele em porções

    A carne só pode ser congelada crua se isso for feito imediatamente após a compra; se ela já tiver passado uma temporada de dias na geladeira, deve ser cozida e então congelada. O cozimento pode ser igual àquele para consumo imediato, com temperos e molhos. Para levar ao congelador, o ideal é dividi-la em porções individuais, pois não é aconselhado que esse preparado seja congelado novamente --há perda de textura e de nutrientes quando ele é requentado, ou seja, se for congelado e aquecido mais uma vez, será um alimento desagradável para o paladar e nutricionalmente pobre.

  • Istock

    Congele sobras de refeições em porções individuais

    Todos os alimentos assados, cozidos ou fritos podem ser congelados. Mas, assim como o que ocorre com a carne preparada para o congelamento, as porções congeladas das sobras das refeições não devem ser congeladas novamente após requentadas, por isso é recomendado que sejam separadas em porções individuais.