PUBLICIDADE

Topo

Xilitol: 40% menos calórico, adoçante natural tem sabor similar ao açúcar

iStock
Imagem: iStock

Bárbara Therrie

Colaboração para o VivaBem

05/05/2021 04h00

Ele tem um sabor doce semelhante ao do açúcar comum, possui baixo valor calórico e não deixa sabor residual nas preparações. Quer saber mais vantagens? E quais as desvantagens? Para quem ele é indicado? Tire dúvidas sobre o adoçante natural xilitol.

Saiba tudo sobre o xilitol

O que é xilitol?

O xilitol é um poliol, também chamado de poliálcool ou álcool de açúcar. É um carboidrato que tem sido utilizado como substituto da sacarose (açúcar de mesa) tanto por pessoas como pela indústria em alguns produtos.

Existem duas categorias de adoçantes: os artificiais (ou seja, substâncias desenvolvidas e sintetizadas em laboratório, e não existem na natureza) e os naturais (também são produzidos em laboratório, mas existem naturalmente nas plantas e alimentos). O xilitol é um tipo de adoçante natural.

Do que o xilitol é feito?

O xilitol é naturalmente encontrado em mínimas quantidades em algumas frutas e vegetais, como ameixa, morango, couve-flor, abóbora.

O xilitol em pó, que encontramos para comprar, é produzido pela indústria por meio de modificações químicas, sendo extraído principalmente do milho.

Para que serve o xilitol?

Tem a função de conferir sabor doce aos produtos alimentícios. Ele é usado como substituto da sacarose, mas com menor quantidade de calorias e menor impacto na glicemia do que o açúcar de mesa convencional.

Para quem o xilitol é indicado?

O xilitol pode ser usado com segurança por diabéticos, uma vez que ele não eleva a glicemia da mesma forma que o açúcar. No entanto, vale ressaltar que alguns trabalhos têm mostrado que os adoçantes elevam a glicose no sangue, mas em menor intensidade.

O xilitol apresenta 40% menos calorias que o açúcar tradicional, por esse motivo também é indicado para quem deseja emagrecer e busca uma redução de calorias e carboidratos na dieta. Entretanto, é importante salientar que o uso não é recomendado em dietas saudáveis, o indicado é aproveitar o sabor natural dos alimentos ou adoçar e mascarar o mínimo possível.

Qual o sabor do xilitol?

Ele tem um sabor doce, levemente mentolado, sem sabor residual.

Em quais alimentos e bebidas o xilitol pode ser usado?

Pode ser usado em qualquer alimento ou bebida que a pessoa sinta a necessidade de acentuar o sabor doce, como café, chá, sucos, vitaminas, smoothies e receitas culinárias, como bolos, pudins e tortas —o xilitol também pode ser aquecido.

Além disso, ele é utilizado em produtos, como chocolates, gomas de mascar, enxaguante bucal e cremes dentais.

Quais as vantagens do xilitol?

O xilitol é um adoçante natural por derivar da matriz de vegetais, apresenta bom potencial adoçante, pode ser usado em diversas preparações culinárias, não tem sódio na composição e resiste a altas temperaturas.

Qual o limite seguro de consumo do xilitol?

Para os polióis, ainda não há um limite especificado de IDA (ingestão diária aceitável) como já existe para outros adoçantes artificiais. A OMS (Organização Mundial da Saúde) considera o xilitol seguro para consumo humano e não estabelece um limite para a ingestão diária aceitável em quantidades estabelecidas em mg/kg de peso.

Segundo o FDA (Food and Drug Administration), ou melhor, a agência regulatória de medicamentos e alimentos dos EUA, o consumo é permitido na quantidade necessária para atingir o sabor desejado, sendo 60 gramas ao dia o valor máximo recomendado.

Xilitol ajuda a prevenir cáries?

O xilitol tem ação anticariogênica pois ele não é fermentado por bactérias que são responsáveis pela formação de cáries nos dentes. Com isso, melhora o pH bucal, controlando a acidez e dificultando a ação de bactérias cariogênicas.

Xilitol aumenta os níveis de açúcar no sangue?

O xilitol não eleva a glicemia da mesma forma que o açúcar. Toda glicose proveniente do metabolismo do xilitol é primeiramente estocada como glicogênio no fígado e depois liberada gradualmente. Sua absorção no organismo ocorre por difusão passiva e nenhuma das duas principais vias de absorção (fígado e microbiota intestinal) é mediada pela insulina. Desse modo, sua concentração no sangue não sofre as mudanças bruscas causadas pela sacarose e pela glicose. É um adoçante considerado seguro para pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2.

No entanto, não deve ser usado indiscriminadamente ou de forma exagerada. O ideal é que a pessoa procure um nutricionista para orientar sobre o uso dentro da rotina alimentar. O xilitol tem mais vantagens que o açúcar de mesa, mas é importante estimular a adaptação do paladar ao sabor natural dos alimentos, preferindo sempre alimentos in natura e minimamente processados como base de uma alimentação saudável, o que já favorece o controle da glicemia e da saúde em geral.

Xilitol ajuda a emagrecer?

O valor calórico do xilitol é 2,4 kcal/g. Ele tem em torno de 40% menos calorias que o açúcar de mesa, uma substituição vantajosa para reduzir as calorias totais durante o dia. Entretanto, o que promove o emagrecimento saudável e sustentado é uma reestruturação dos hábitos alimentares pautada na mudança de comportamento alimentar, com escolhas mais saudáveis, o que é um processo gradativo.

Quais as desvantagens do xilitol?

Quando usado em grandes quantidades e/ou alta frequência, o xilitol pode causar sintomas gastrointestinais, como flatulência, cólicas e diarreia, devido à propriedade de fermentação pela microbiota intestinal.

A gravidade dos sintomas depende das características individuais, estado de jejum, dose consumida, modo de ingestão, características moleculares, composição e estrutura dos outros alimentos consumidos simultaneamente.

Pessoas hipersensíveis aos polióis ou que tenham doenças como síndrome do intestino irritável podem apresentar sintomas adversos (como flatulência, distensão e desconforto abdominal e alteração da motilidade intestinal) mesmo com seu uso em pequenas quantidades.

Em quais casos o xilitol é contraindicado?

Em pessoas hipersensíveis aos polióis e com doenças inflamatórias intestinais, como doença de Chron e a síndrome do intestino irritável.

Xilitol faz mal à saúde?

O xilitol é aprovado pela FDA desde 1963, quando foi incluído no grupo de substitutos do açúcar, sendo considerado um aditivo do tipo GRAS (Generally Recognized as Safe), ou "geralmente reconhecido como seguro", em tradução livre. Sua incorporação em alimentos é legalmente aceita, permitida e considerada segura.

Não há estudos que indiquem aparecimento de doença ou malefício à saúde relacionado a seu uso, no entanto, ele deve ser usado com bom senso e moderação.

Fontes: Daniela Gomes, doutora em nutrição, professora e pesquisadora de nutrição da UFPA (Universidade Federal do Pará) e do Hospital Universitário João de Barros Barreto, orientadora no Mestrado Profissional em Diabetes (PPG-Diabetes) e membro da Sociedade Brasileira de Diabetes; Marlice Marques, nutricionista efetiva na Secretaria Estadual de Saúde de Goiás, mestre em Ciências da Saúde e membro da Diretoria da Regional Goiás da Sociedade Brasileira de Diabetes e do Departamento de Nutrição da Sociedade Brasileira de Diabetes; Rachel Freire, nutricionista especialista em obesidade, pesquisadora, professora do IPEMED (Instituto de Pesquisa e Ensino Médico), colaboradora da ONG Obesidade Brasil e pós-doutora por Harvard Medical School).