PUBLICIDADE

Topo

Victor Machado

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Como anda a relação entre a alimentação e as atividades físicas?

iStock
Imagem: iStock
Conteúdo exclusivo para assinantes
Victor Machado

Victor Machado é nutricionista, pós-Graduado em nutrição esportiva e em nutrição Comportamental. Atua com foco em comportamento alimentar e é o idealizador da marca Nutrição Sincera, que tem como objetivo passar informações sobre saúde, alimentação e bem-estar por meio do humor.

Colunista do VivaBem

09/08/2021 04h00

Ontem foi Dia dos Pais. Nesses momentos de confraternização, refeições especiais são muito comuns e algumas pessoas acabam exagerando na comida. Mas está tudo bem. Ninguém precisa se preocupar com o que comeu num dia de comemoração.

Nesse caso, o que importa é apreciar os pratos e sobremesas servidas e aproveitar a companhia de pessoas queridas. Isso faz com que a relação com o que você come se torne mais leve.

Um erro comum após dias de fartura alimentar é pensar em compensar as calorias consumidas com um maior volume de atividade física, para queimar tudo aquilo que comeu. Isso gera a sensação de que o exercício funciona como forma de punição por algo que você não deveria ter feito no dia anterior, quando na verdade o treino é um ato de celebração por tudo aquilo que o seu corpo é capaz de fazer.

De acordo com a Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica), 60% da população brasileira está com sobrepeso e mais de 20% são obesos. Isso é curioso quando pensamos na quantidade de academias que há por aqui —somos o segundo país do mundo com maior número desses estabelecimentos, atrás apenas dos EUA.

No entanto, muitas vezes essas academias se sustentam com clientes que fazem plano anuais, mas não frequentam os treinos. Talvez, algo que justifique essa ausência seja a atividade física, no caso da musculação, não fazer tanto sentido assim na vida de muitas pessoas. A ideia agora não é falar dos benefícios do treinamento de força, mas nas motivações para praticá-lo.

Já é de longa data a ideia de que para se ter saúde e para emagrecer o segredo é treinar mais e comer menos, sendo essa uma conta que nunca fechou, tendo em vista o aumento de casos de obesidade e outras doenças crônicas no país.

Atividade física muitas vezes é incentivada como uma tática para acelerar o emagrecimento ou deixar o "shape definido". Em alguns casos atividade física existe como reforço para um comportamento de se sentir validado por um grupo. São aqueles casos de pessoas que iniciam uma atividade física em busca de emagrecimento e, no ambiente de trabalho ou entre os familiares, essa pessoa começa a receber elogios por estar mais magra e mais bonita, fazendo com que a prática de atividade física continue como forma de receber mais elogios.

Repare que praticar atividade física apenas para emagrecer ou em uma busca inconsciente por mais elogio e aceitação tira o sentido real do benefício que a atividade física pode proporcionar ao corpo. O real benefício tem relação com mais disposição, saúde mental, intestinal e cardiovascular, melhora do sono e acima de tudo uma comemoração pela capacidade que o corpo tem de exercer um movimento.

Enxergar a atividade física como uma forma de melhorar o estilo de vida e de tornar o organismo capaz de enfrentar as dificuldades da vida pode ser uma estratégia interessante para deixar mais leve a relação que você tem com os exercícios. Por conta dessa cobrança social pela magreza e corpos musculosos, muitos enxergam a atividade física como algo que deve sempre ser rígido e doloroso, quando na verdade o correto deveria ser pensar no esporte como compromisso com a saúde, algo totalmente diferente de rigidez e cobrança.

Somada à cobrança para fazer exercícios intensos ainda existe a exigência social para se ter uma dieta rígida e compatível com a de um atleta, algo que acaba distanciando muitas pessoas do treino por saúde e da boa alimentação, por se sentirem incapazes de fazer tanta força para ter um estilo de vida saudável

Entenda que celebrar o que o corpo pode fazer e se alimentar bem são atos que sempre vão trazes benefícios para o bem-estar, e não faria sentido nenhum ter que fazer uma força absurda o resto da vida para se obter saúde.

Atividade física deve ocorrer de forma natural e a intensidade ser aumentada de acordo com a prática que você tem com um determinado esporte ou exercício. Assim como a alimentação, que sempre vai andar junto com a atividade física: comer é um ato simples que envolve nutrir, socializar e celebrar. Nada disso tem relação com rigidez, mas sim com um compromisso com sua vida.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL