PUBLICIDADE

Topo

Verônica Laino

Alumínio, inox, ferro, barro: qual o melhor tipo de panela para cozinhar?

iStock
Imagem: iStock
Verônica Laino

Verônica Laino é formada em nutrição pela USP (Universidade de São Paulo), pós-graduada em Nutrição Clínica e Esportiva Funcional e coach de emagrecimento. Trabalhou em clínica particular por sete anos e hoje dedica seu tempo aos seus coachees e a? produc?a?o de conteu?do online, mi?dias sociais e eventos, como forma de alcanc?ar cada vez mais pessoas e ajuda?-las a levar uma vida pra?tica, sauda?vel, balanceada e gostosa.

Colunista do UOL

08/12/2020 04h00

A cada dia que passa, a preocupação pela alimentação saudável aumenta. Mas uma coisa que poucas pessoas se preocupam é o local em que se está preparando esta comida. Dependendo da panela e utensílio que usamos, podemos contaminar o alimento e causar problemas de saúde a longo prazo.

Toda panela tem seu lado positivo e negativo, então veja o que está a seu alcance e escolha a melhor opção que puder.

panelas; aluminio - iStock - iStock
Imagem: iStock

Panela de alumínio

É a mais comum e está presente na maioria das casas dos brasileiros. É muito popular por seu baixo custo, porém alguns estudos apontam que o alumínio pode alterar a cor e o sabor dos alimentos. A comida ainda pode absorver uma parte do metal tóxico da panela, podendo causar distúrbios pulmonares, processos inflamatórios e talvez até Alzheimer.

Quando mais riscada a panela, maior pode ser a contaminação, por isso a indicação é que não se utilize palha de aço na limpeza e evite raspar com utensílios que risquem a panela.

antiaderente; bolinhos; receita; cozinhando - iStock - iStock
Imagem: iStock

Panela antiaderente

É a melhor opção, até surgir o primeiro risco nela. O ácido perfluoro-octanóico e o politetraflupretileno, que fazem a aquela cobertura antiaderente das panelas, ao terem sua película quebrada (formando o riscos), são liberados para os alimentos e são altamente tóxicos, podendo levar a distúrbios de tireoide, câncer de fígado, renal, problemas cardíacos, além de serem potentes obesogênicos (podem contribuir para obesidade).

Por isso, esforce-se ao máximo para conservar suas panelas. Todo mês você deve fazer a cura (que é quando você aquece o óleo, espera esfriar e depois lava). Nunca coloque a panela quente embaixo da água gelada, sempre espere esfriar antes de lavar e somente utilize utensílios preferencialmente de silicone, assim não danifica o produto. Se houver riscos ou o material antiaderente estiver se desprendendo, descarte a panela imediatamente.

inox; panela; macarrão - iStock - iStock
Imagem: iStock

Panela de inox

Sonho de consumo de muitas pessoas e uma das opções para substituir as panelas de alumínio. A vantagem delas é que o material não oxida, o calor é distribuído uniformemente e é bem resistente, ou seja, se bem cuidada, pode durar anos.

A desvantagem é que contém níquel em sua composição, então, se utilizar palha de aço ou utensílios que arranham a panela, o metal tóxico pode se desprender e a exposição prolongada pode causar alergias e até câncer. Por isso, a dica é: sempre cozinhe seu alimento no fogo baixo, assim não queima sua panela e, com isso, você consegue limpá-la facilmente com uma esponja macia.

ferro; panela; batata; alho - iStock - iStock
Imagem: iStock

Panela de ferro

Ela requer um pouco mais de trabalho para ser conservada, pois enferruja com facilidade —e a ferrugem é altamente prejudicial à saúde. Por isso, é importante sempre lavar após utilizar, passar uma camada fina de azeite e colocar no forno por cinco minutos, assim, ela seca, fica protegida pelo óleo e não enferruja. Caso você não tenha tempo de lavar logo após o uso, uma dica é esfregar a panela usando sal e uma escovinha própria para isso. Depois passe um papel para retirar o excesso de sal, isso vai retirar a gordura da panela e evitará que ela enferruje até você conseguir lavá-la.

panela cobre - iStock - iStock
Imagem: iStock

Panela de cobre

São mais difíceis de serem encontradas nas casas dos brasileiros, porém são boas condutoras de calor e o retêm por mais tempo. A desvantagem é que não pode ser utilizado nenhum alimento ácido nela. Em contato com a acidez, ela libera o cobre, que é tóxico e pode causar distúrbios gastrointestinais, dores abdominais, náuseas e, a longo prazo, causa problemas hepáticos e renais.

panela barro - iStock - iStock
Imagem: iStock

Panela de barro

Temos que tomar cuidado com estas panelas, pois são bem porosas e isso pode levar ao acúmulo de resíduos de alimentos, facilitando a desenvolvimento de micro-organismos. É preciso ter atenção dobrada ao higienizar estas panelas, então utilize sempre uma esponja macia, sabão e água, esfregue sempre com cautela e depois seque no fogo, para evitar a proliferação de bactérias.

panela vidro - iStock - iStock
Imagem: iStock

Panela de vidro

É a mais saudável de todas! Não libera nenhum resíduo, é fácil de limpar e não risca. A desvantagem é que não é todo lugar que você encontra para comprar e, quando encontra, costuma ser bem cara.

Não é muito fácil de cozinhar nelas, pois uma vez que o vidro aquece, ele mantém o calor e continua cozinhando, então o ideal é sempre desligar o fogo antes de finalizar o cozimento, assim não corre o risco de queimar o alimento. Como qualquer coisa feita de vidro, ela quebra, então tem que tomar muito cuidado ao manuseá-la.

panela cerâmica - iStock - iStock
Imagem: iStock

Panela de cerâmica

Aqui, temos que tomar cuidado. Existem as panelas de cerâmica de verdade e aquelas que possuem apenas um revestimento de cerâmica. Caso seja apenas um revestimento, elas entram na mesma categoria de panela antiaderente, ou seja, riscou, tem que descartar.

Agora, se a panela for 100% de cerâmica, é uma excelente opção. Conserva bem o calor, é fácil de limpar e, se untar com azeite ou manteiga, os alimentos não grudam. A desvantagem é que demora para aquecer e, se bater em alguma superfície com mais força, pode trincar e quebrar. Sempre que comprar, exija a certificação e se as tintas do revestimento são atóxicas, pois panelas feitas de forma caseira podem conter cádmio e chumbo, dois metais tóxicos que podem causar diversos distúrbios à saúde.