PUBLICIDADE

Topo

Dr. Kalil

CardioGeriatria: é preciso ter mais tempo de vida sem doenças crônicas e do coração

Colunista do VivaBem

05/10/2020 04h00Atualizada em 05/10/2020 14h10

Com o avanço da idade, doenças desenvolvidas na primeira e segunda fase da vida são agravadas. Falo tanto das congênitas quanto das adquiridas com o passar dos anos. Por isso, é muito importante que o médico esteja atento e busque, cada vez mais, conhecimento para oferecer tratamento adequado e personalizado ao paciente idoso.

É com este objetivo que surge a área de CardioGeriatria; quando os conhecimentos da cardiologia se fundem com os da área de geriatria — tão importante para a longevidade e qualidade de vida na terceira idade.

Mas redobrar a atenção à saúde não deve acontecer apenas na terceira idade. "As doenças que acometem o jovem, quando devidamente tratadas, permitirão que ele chegue a uma idade mais avançada e tenha tratamento adequado, com a melhor conduta para beneficiá-lo", explica o professor titular de Geriatria da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), e diretor da unidade de CardioGeriatria do InCor, Wilson Jacob.

É com ele que converso hoje sobre o tema e prevenção. Convido a todos para assistir ao vídeo acima.