Topo

Coluna

Paulo Chaccur


Paulo Chaccur

Musculação x aeróbico: qual o mais indicado para a saúde do seu coração?

Descubra o que é melhor no tratamento e prevenção das doenças cardiovasculares - iStock
Descubra o que é melhor no tratamento e prevenção das doenças cardiovasculares Imagem: iStock
Paulo Chaccur

Diretor da Cirurgia Cardiovascular no Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, é formado pela Faculdade de Medicina da Santa Casa de São Paulo e possui mais de 40 anos de experiência.Na década de 90, Chaccur passou a liderar a própria equipe de cardiologia e cirurgias cardíacas no HCor (Hospital do Coração).

Colunista do UOL

31/03/2019 04h00

Que a prática de atividades físicas regulares traz uma série de benefícios à saúde, isso todo mundo já sabe. Mas e quando falamos do tipo de exercício praticado, você saberia dizer qual é o melhor para o coração: aqueles que exigem força, como musculação e treinamento de resistência, ou as atividades aeróbicas, a exemplo da natação e corrida?

E aqui não estamos falando de atletas nem de pessoas que passam horas e horas por semana na academia. Mesmo quantidades moderadas de atividade física regular, ou seja, cerca de 15 minutos por dia, já estão associadas a efeitos preventivos importantes para uma grande variedade de doenças, entre diabetes, câncer e problemas cardiovasculares. O mais importante é evitar o sedentarismo: qualquer grau de atividade é melhor que nenhuma!

O lado bom dos aeróbicos

A atividade física aeróbica regular com envolvimento de grandes grupos musculares, como caminhadas, corridas, natação e ciclismo, impõe estímulos cardiovasculares e trazem benefícios para nossa capacidade física, flexibilidade, resistência muscular e força.

Adicionalmente, auxilia na prevenção do desenvolvimento de doença arterial coronária (prevenção primária), além de reduzir sintomas em indivíduos já portadores de cardiopatias, sobretudo a aterosclerose (prevenção secundária).

Hoje já existem evidências claras de que a aplicação de programas de exercício aeróbico regular (combinados com o uso de medicamentos) promove a estabilização ou mesmo a regressão da placa aterosclerótica e diminuição de eventos cardiovasculares considerados mais graves, como o infarto.

Esses benefícios, no entanto, variam de acordo com cada caso, uma vez que envolvem a gravidade da doença e estão diretamente relacionados com a frequência, modo, intensidade e duração dos exercícios.

Musculação e treinos de força, quais as vantagens?

Já a musculação promove o aumento da força e controla a redução da massa muscular causada pelo envelhecimento ou pela falta de atividades físicas, que leva a um alto índice de desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Com o ganho de força e de massa, o coração sofre uma sobrecarga menor com esforços do dia a dia.

Além disso, esse tipo de atividade contribui muito para reduzir e prevenir uma série de fatores de risco e doenças que afetam a saúde do coração, como o diabetes, a obesidade e a hipertensão arterial.

O treino de musculação tem um efeito benéfico, principalmente sobre o percentual de gordura corporal e os níveis de colesterol e triglicérides.

Enfim, quem leva a melhor, musculação ou aeróbicos?

Estudos recentes têm apontado que exercícios que usam mais força, como musculação e treinamento de resistência, são melhores para a saúde cardíaca se comparados com as atividades aeróbicas.

No entanto, não há um exercício melhor que o outro. Na realidade, tudo dependerá de quem irá praticá-lo, da intensidade e frequência desses exercícios. As atividades se tornam vantajosas à saúde do coração quando realizadas rotineiramente. Quando praticamos uma atividade física regular, o coração trabalha com mais eficiência, sem realizar um esforço desnecessário.

E se pensarmos nos benefícios, a combinação entre as atividades aeróbicas e treinos de força traz resultados ainda melhores, pois contribuí com a saúde como um todo. Juntos, esses exercícios ajudam na respiração, fortalecimento da musculatura, na frequência cardíaca, na circulação sanguínea, entre outros já mencionados aqui.

Recomendação

Mas veja, não é preciso passar horas por dia na academia para proteger o coração. O total de 150 minutos por semana de atividades em intensidade aeróbica moderada ou 75 minutos semanais em intensidade aeróbica acentuada já tem um impacto positivo significante para a saúde. A recomendação no caso das atividades que envolvem força é de, no mínimo, duas por semana com intensidade moderada a acentuada.

Entretanto, não podemos esquecer: sempre busque a orientação de um profissional. Além disso, os problemas cardiovasculares estão entre as principais causas de eventos fatais durante as atividades físicas. Portanto, é fundamental a avaliação cardiológica e a liberação de um especialista para o início de um programa de exercícios.

Todo o tipo de exercício físico conta!

E fica ainda outra ressalva: não devemos nos limitar aos aeróbicos e exercícios de força. Outras modalidades que melhoram a saúde geral, incluindo atividades de equilíbrio e flexibilidade, também são importantes, não só por envolverem uma prática física, mas por reduzirem o risco de quedas e aumentarem a elasticidade do corpo, por exemplo.

A melhor escolha é sempre por uma atividade física que proporcione prazer. Muitas vezes optar por exercícios da moda ou que pareçam mais eficazes para os outros pode não trazer o mesmo efeito do que uma simples caminhada, desde que a pessoa se sinta bem durante a prática e estimulada a realizá-la regularmente.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Paulo Chaccur