PUBLICIDADE

Topo

Paola Machado

Você já ouviu falar em cone vaginal? Saiba o que é e para quem é indicado

Divulgação/Quark
Imagem: Divulgação/Quark
Conteúdo exclusivo para assinantes
Paola Machado

Paola Machado é formada em educação física, mestre em ciências da saúde (foco em fisiologia do exercício e imunologia) e doutora em ciências da saúde (foco em fisiopatologia da obesidade e fisiologia da nutrição) pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). Atualmente, atua como pesquisadora, desenvolvendo trabalhos científicos sobre exercícios, nutrição e saúde. CREF: 080213-G | SP

Colunista do UOL

31/08/2021 04h00

Ao ler isso, muita gente pode ter pensado que este texto poderia ser algo vinculado somente com sexualidade feminina, venda de produtos de sex shop ou algo assim. Mas saiba que os cones são extremamente importantes na prática clínica e podem ser usados em outros aspectos da saúde da mulher.

Aqui na coluna já trouxemos vários textos falando sobre a importância de fortalecer os músculos da vagina em todos os ciclos de vida da mulher —da gestação à menopausa, por diversos benefícios não só para gestantes que se preparam para o trabalho de parto, mas também na prevenção de disfunções (incontinência urinária e fecal) e melhora no desempenho sexual.

O que é esse tal de cone vaginal?

Os cones vaginais são pequenas cápsulas com peso e formato anatômico que, quando inseridos na vagina, aumentam a conscientização da musculatura e fortalecem o assoalho pélvico. Geralmente, são vendidos por lojas especializadas, em forma de kits com pesos e cores diferentes que variam de 20 a 100 gramas.

O peso é escolhido de acordo com a força pélvica da mulher e aumenta progressivamente. O mais legal é que a mulher pode fazer os exercícios enquanto realiza tarefas simples como arrumar a casa, caminhar, enquanto faz outros exercícios e movimentos para não deixar o peso cair. Com o passar do treino a mulher ganha mais autonomia e consegue, cada vez mais, segurar a musculatura por mais tempo.

Mas como assim usar pesos na vagina?

Assim como qualquer outra musculatura do nosso corpo, temos que treinar e fortalecer a musculatura do assoalho pélvico com o mesmo cuidado que temos com qualquer outro músculo. Devemos olhar para essa região com a mesma atenção que damos ao quadríceps, ao abdome.

Vamos fazer uma analogia com a seguinte situação: você irá começar a frequentar a academia e há muitas opções de pesinhos, anilhas e halteres. Você não irá pegar o peso mais pesado que te sobrecarregue, pois sabe que isso irá te lesionar, o mesmo vale para a escolha do peso do cone vaginal.

Além disso, na academia, o educador físico te orienta na ordem, na maneira com que realiza os exercícios, na quantidade de séries, repetições e todas as informações necessárias que devem ser consideradas, o mesmo vale para o fisioterapeuta que irá te orientar na forma de se exercitar com o cone.

O que saber antes de comprar um cone vaginal

Mas para quem acha que é só introduzir o cone vaginal e sair andando por aí, é preciso tomar alguns cuidados. Antes de começar a utilizar o cone, é necessário um processo de conscientização dos músculos do assoalho pélvico e uma avaliação na qual o fisioterapeuta especialista em uroginecologia identifica a necessidade, indicação e aí sim escolhe o cone mais adequado a cada paciente e de que forma os exercícios serão indicados.

Quando pensamos no assoalho pélvico, como são músculos internos e não conseguimos ver, alguns acessórios próprios para o fortalecimento como os cones vaginais podem ajudar na consciência corporal, dando um feedback durante os exercícios de contração e relaxamento.

No consultório, a fisioterapeuta especialista em saúde da mulher é responsável por prescrever o uso de cones vaginais. Os estudos bem como a prática clínica demonstram ótimos resultados na maioria dos casos para tratamento de incontinência urinária, prolapsos vaginais e melhora do desempenho sexual.

Porém, vale lembrar que os exercícios são ativos e deve existir colaboração, motivação e consistência dessa paciente, já que são métodos de fortalecimento de longo prazo. A maior dica é que se respeite as indicações dos exercícios e que eles se tornem um hábito. Reserve sempre um horário específico do seu dia para não se esquecer!

Além disso, é preciso considerar a importância no uso após a indicação correta do profissional de fisioterapia da área, pois o assoalho pélvico da mulher possui dois tipos de fibras musculares e devem ser fortalecidos e indicados de acordo com o objetivo a ser trabalhado no caso de cada mulher.

Atenção! Exercícios realizados de forma incorreta podem lesionar a musculatura do assoalho pélvico, além de predispor a infecções. Sempre busque pelo acompanhamento adequado.

*Colaboração de Juliana Satake, fisioterapeuta especializada em saúde da mulher e sócia da Clínica La Posture e Renata Luri, fisioterapeuta doutorada pela Unifesp e Clínica La Posture

Referências:

  • Pereira, V S; de Melo, M V; Correia, G N; Driusso, P.Vaginal cone for postmenopausal women with stress urinary incontinence: randomized, controlled trial. Climacteric; 2012 Feb;15(1): 45-51.

  • Silva, Andréa Marcella Nascimento; Oliva, Leandra Monteiro de Paiva.Exercícios de Kegel associados ao uso de cones vaginais no tratamento da incontinência urinária: estudo de caso / Kegel exercises with the use of vaginal cones in treatment of urinary incontinence: a case study. Sci. med ; 21(4)out.-dec. 2011.