PUBLICIDADE

Topo

Paola Machado

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Conheça sinais de alerta que o corpo dá quando você está se exercitando

iStock
Imagem: iStock
Conteúdo exclusivo para assinantes
Paola Machado

Paola Machado é formada em educação física, mestre em ciências da saúde (foco em fisiologia do exercício e imunologia) e doutora em ciências da saúde (foco em fisiopatologia da obesidade e fisiologia da nutrição) pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). Atualmente, atua como pesquisadora, desenvolvendo trabalhos científicos sobre exercícios, nutrição e saúde. CREF: 080213-G | SP

Colunista do UOL

03/08/2021 04h00

O exercício faz bem e já sabemos muito bem disso, mas o mais importante é entender o seu corpo e saber os limites que devemos estabelecer para não ter nenhum tipo de problema. O corpo, na maioria das vezes, dá sinais de alerta —um exemplo básico é a boca seca quando precisamos de água ou mesmo a barriga roncando quando precisamos nos alimentar—, que devemos estar atentos para não progredir para algum problema mais sério.

Por isso, hoje pontuarei alguns sinais importantes, como dores ou desconfortos, dor no peito, dificuldade de respirar, batimento cardíaco irregular ou rápido demais, visão turva, que poderão evitar a evolução para um problema mais grave.

  • Dificuldade em respirar ou falta de ar Ter dificuldade em respirar é um dos primeiros sinais a ter em atenção durante o exercício. Mas há uma diferença entre a respiração ofegante que ocorre durante exercícios intensos e a causada por um problema mais sério. As dificuldades respiratórias incluem falta de ar, respiração ofegante, tosse ou sensação de aperto na garganta ou pescoço. A sua idade, estilo de vida e peso podem contribuir para as dificuldades respiratórias bem como algumas condições de saúde (como hérnias e asma). Com a idade a quantidade de ar que consegue fluir para os nossos pulmões diminui lentamente, à medida que os músculos do diafragma enfraquecem. Por isso, faça uma pausa se tiver dificuldade para respirar durante o exercício e consulte seu médico para receber orientação e realizar exames mais específicos.
  • Frequência cardíaca alta que não baixa durante os intervalos É importante monitorar sua frequência cardíaca durante o treino com um frequencímetro. Ao começar sua rotina de treinamento pela primeira vez, peça auxílio a um profissional para encontrar sua meta de frequência cardíaca ideal ou mesmo realize testes de esforço. Sua frequência cardíaca deve diminuir gradualmente quando você parar de se exercitar ou mesmo nos momentos de recuperação. Se sua frequência cardíaca não retornar a uma taxa normal de batimentos por minuto (bpm) quando você para, isso pode indicar um sinal de que você tem um problema cardíaco subjacente ou pressão alta. Caso note algo diferente, procure um médico.
  • Visão turva A visão turva é um sintoma que pode indicar problemas maiores que precisam de atenção. É comum que nossos sentidos fiquem ligeiramente comprometidos durante a realização de exercícios intensos, já que toda a energia do nosso corpo é canalizada para realizar o treino. Mas a visão turva pode ser um sinal de alerta de que você está indo longe demais. A visão turva costuma ser acompanhada por outros sintomas, como náuseas, tonturas, fadiga ou sede extrema, e pode ser causada por pressão arterial baixa ou hipotensão. A desidratação, as reações alérgicas e a falta de nutrientes no corpo podem piorar ainda mais esses sintomas. Se você observar uma visão turva durante o exercício, pare imediatamente, se hidrate, se alimente e procure um médico para saber o motivo desse sinal de alerta.
  • Dores nas articulações A lesão articular geralmente ocorre em três fases: a fase aguda ou inflamatória (que geralmente dura em torno de quatro a seis dias), a fase de reparo (que dura em torno de 14 a 21 dias após a lesão) e a fase crônica, que só ocorre se o processo de cura foi interrompido. Fortaleça os músculos, principalmente os de sustentação, e pare de se exercitar imediatamente se sentir dores incomuns nas articulações.
  • Dor de cabeça ou pescoço durante o treinamento de alta intensidade geralmente significa que você está tensionando demais os músculos do pescoço e dos ombros. Isso sobrecarrega as articulações e também pode resultar em problemas maiores, como a compressão dos nervos. A má postura durante a atividade pode causar dor de cabeça ou pescoço, por isso é importante manter uma postura neutra para garantir que o músculo trapézio não sobrecarregue. Se você está sentindo dores na cabeça ou no pescoço durante o exercício, faça uma visita ao seu médico e ao fisioterapeuta.
  • Você sente dor no peito, pressão, desconforto Embora um ataque cardíaco não seja muito frequente durante o exercício, é possível ocorrer a alguém que tenha uma doença cardíaca subjacente. O problema é que a maioria das pessoas não tem conhecimento de nenhum problema até que esses sinais de aviso apareçam. Sentir esses sintomas durante o treinamento é um sinal para parar imediatamente e procurar atendimento médico. Alguns outros sintomas incluem desconforto nas costas, mandíbula ou garganta, náusea, queimação e dor de cabeça.
  • Exaustão de calor A exaustão por calor ocorre quando o suor não consegue evaporar rápido o suficiente para manter o corpo frio. Os sintomas incluem cãibras musculares, deterioração em seu desempenho esportivo ou capacidade de completar sua tarefa, dores de cabeça e tonturas. A exaustão pelo calor pode ser facilmente prevenida mantendo-se hidratado antes, durante e após as atividades esportivas, bem como evitando exercícios nas horas mais quentes do dia. Se você sentir algum dos sintomas listados acima, faça uma pausa nos seus exercícios e procure o seu médico para verificar se não há outro problema médico subjacente.

No geral, os fatores que você precisa levar em consideração ao iniciar seu programa de treinamento incluem pressão arterial, desempenho do sistema circulatório, desempenho do sistema neurológico, saúde muscular, saúde articular e óssea, nível de aptidão e o ambiente ao seu redor em termos de temperatura e umidade.

Nossos corpos são incríveis e são definitivamente capazes de se adaptar a uma série de circunstâncias.

Dicas gerais para exercitar-se com segurança

Fale com um médico se você tiver quaisquer lesões ou uma condição de saúde crônica ou instável, como doença cardíaca ou vários fatores de risco para doenças cardíacas, uma doença respiratória como asma, pressão alta, doença articular ou óssea (incluindo osteoporose), doença neurológica ou diabetes.

Consulte também o seu médico se suspeitar que pode ter uma doença que possa interferir com um programa de exercícios ou se estiver experimentando algum sintoma incômodo, como dor no peito, falta de ar ou tontura.

Algumas dicas gerais para realizar um exercício com segurança e evitar, principalmente, lesões, de acordo com Harvard Health Publishing:

  • Leve de 5 a 10 minutos para aquecer e desaquecer.
  • Planeje começar devagar e aumentar seu nível de exercício gradualmente.
  • Esteja ciente de que treinar muito ou com muita frequência pode causar lesões por uso excessivo, como fraturas por estresse, articulações e músculos rígidos. Esportes que levam ao desgaste repetitivo de certas partes do corpo --como natação (ombros), corrida (joelhos, tornozelos e pés), tênis (cotovelos)-- também costumam levar a lesões por uso excessivo. Por isso, alterne com diferentes tipos de atividades e realize o descanso suficiente.
  • Ouça seu corpo. Não faça exercícios quando estiver doente ou se sentindo muito cansado. Reduza se você não conseguir terminar uma sessão de exercícios, se sentir tonto após o exercício ou fatigado durante o dia, ou sofrer dores persistentes nas articulações após o exercício.
  • Se você parar de se exercitar por um tempo, volte para um nível inferior de exercício inicialmente. Se você estiver fazendo treinamento de força, por exemplo, opte por cargas mais leves ou faça menos repetições ou séries.
  • Se você estiver treinando muito ou fazendo uma maratona, ingira água e eletrólitos.
  • Escolha roupas e calçados adequados ao seu tipo de exercício.
  • Para o treinamento de força, inicie sem cargas ou com cargas leves para aprender a execução dos exercícios. Nunca sacrifique a boa forma correndo para terminar repetições ou séries, ou lutando para levantar cargas altas.
  • Praticar exercícios vigorosos em condições de calor e umidade pode causar superaquecimento e desidratação graves. Diminua o ritmo quando a temperatura está acima de 21°C. Nos dias em que se espera que o termômetro alcance 27°C, faça exercícios durante as horas com temperaturas mais amenas como de manhã ou de noite ou em uma academia com ar-condicionado. Fique atento a sinais de superaquecimento, como dor de cabeça, tontura, náusea, desmaio, cãibras ou palpitações.
  • Vista-se adequadamente para os treinos em climas frios para evitar a hipotermia.
  • A dor muscular tardia, que começa de 12 a 24 horas após o treino e diminui gradualmente, é uma resposta normal ao esforço dos músculos. Por outro lado, dores musculares persistentes ou intensas que começam durante um treino ou logo depois, ou dores musculares que persistem por mais de uma a duas semanas, merecem uma consulta ao médico.

Referências:

- ACE. Disponível: https://www.acefitness.org/

- Cleveland Clinic. Seeing Double? Get Your Vision Checked Promptly. Disponível em: https://health.clevelandclinic.org/seeing-double-get-your-vision-checked-promptly/

- NIH. Low Blood Pressure. Disponível em: https://www.nhlbi.nih.gov/health-topics/low-blood-pressure

- CDC. Manage Blood Sugar. Disponível em: https://www.cdc.gov/diabetes/managing/manage-blood-sugar.html

- NIH. Diabetic Retinopathy. Disponível em: https://www.nei.nih.gov/learn-about-eye-health/eye-conditions-and-diseases/diabetic-retinopathy

- Medline Plus. Vision problems. Disponível em: https://medlineplus.gov/ency/article/003029.htm

- Harvard. Safe exercise: Know the warning signs of pushing too hard. Disponível em: https://www.health.harvard.edu/pain/safe-exercise-know-the-warning-signs-of-pushing-too-hard

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL