PUBLICIDADE

Topo

Paola Machado

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Entenda a relação entre cãibra e gravidez e como prevenir-se

iStock
Imagem: iStock
Paola Machado

Paola Machado é formada em educação física, mestre em ciências da saúde (foco em fisiologia do exercício e imunologia) e doutora em ciências da saúde (foco em fisiopatologia da obesidade e fisiologia da nutrição) pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). Atualmente, atua como pesquisadora, desenvolvendo trabalhos científicos sobre exercícios, nutrição e saúde. CREF: 080213-G | SP

Colunista do UOL

10/02/2021 04h00

Se você está gestante e já acordou de madrugada com cãibra na panturrilha e não sabe o que fazer, saiba que não está sozinha! A cãibra pode fazer parte do combo quando se está aguardando um bebê, em especial, no terceiro trimestre. Mas não se desespere, podemos melhorar esse pesadelo noturno.

As cãibras são contrações involuntárias dolorosas que ocorrem de forma repentina e podem durar segundos ou até minutos, geralmente à noite e quase sempre na panturrilha. Para se ter ideia, cerca de 30 a 50% das gestantes têm ao menos um episódio.

Esses episódios podem interferir nas atividades diárias, atrapalhar o sono e a qualidade de vida, provocando insônia devido à dor e dificuldade para caminhar nos dois dias seguintes ao evento.

Mas por que as cãibras ocorrem na gravidez sendo mais frequente no final? Não há uma única explicação, e existem diversos fatores que interferem:

- sobrecarga muscular: uso de salto excessivo, vícios posturais, falta de preparo físico para tal sobrecarga, a gravidez por si só gera sobrecarga no corpo;

- excesso de exercício: quando os exercícios não são realizados de forma adequada, podem gerar desequilíbrios em grupos musculares, levando a fadiga que é mais comum na gestação;

- alterações em eletrólitos e deficiência nutricional: gravidez gera várias alterações e nem sempre os eletrólitos mantém o equilíbrio de magnésio, cálcio ou sódio no organismo, o que predispõe a cãimbras;

- problemas circulatórios: má circulação sanguínea dificulta a boa função muscular, inchaços e edemas podem ocorrer;

- condições médicas: estenose vertebral, neuropatia periférica, doença vascular, doença neurológica;

- medicamentos: medicamentos envolvidos em tratamentos de doenças reumáticas, imunossupressores, respiratórios, ansiolíticos e de fibromialgia.

O que posso fazer durante o episódio de cãibra?

Fique em pé e apoie o pé com cãibra no chão: a contração involuntária da panturrilha faz o seu pé ficar em pé de bailarina (com a ponta do pé voltada para o chão, em plantiflexão), portanto pisar no solo fará você ativar a musculatura antagônica e lentamente inibir a ativação involuntária da panturrilha.

Assim que inibir a cãibra volte a deitar na cama, no entanto mantenha o pé com a ponta dos dedos elevados para evitar reincidência e fique assim até adormecer novamente.

O que fazer para prevenir?

Alongamento passivo da panturrilha: Deitada na cama, antes de dormir, estique uma perna para o teto e com ajuda de uma toalha/lençol, puxe o pé para você e sinta alongar a panturrilha. Caso seu bebê já esteja grande e a barriga incomodar, peça ajuda para elevar a perna para o ar e segurá-la no alto para você.

Mantenha por 30 segundos puxando os dedos do pé para você e respirando de forma tranquila. Caso sinta desconforto ou falta de ar por ficar deitada de barriga para cima, você pode fazer sentada.

Massagem profunda no músculo antes de dormir: assim como você cria o ritual de passar creme na barriga para prevenir estrias, tire 1 minuto para massagear cada perna. Pode ser sentada na cama ou no sofá, use óleo vegetal de sua preferência (amêndoas, semente de uva ou outro que você tenha), e massageie a panturrilha com o polegar em movimentos circulares lentamente, sentindo toda musculatura soltar.

Um minuto para cada perna é o suficiente! Panturrilha vai desde o tendão de aquiles próximo ao calcanhar até a região posterior do joelho, a região que mais sentirá dor devido a câimbra é a parte gordinha do músculo, mas você pode massagear toda região posterior da perna que não fará mal.

Alguns minutos de exercício leve antes de se deitar: bicicleta ou esteira antes de dormir de forma leve parece ser eficiente para aliviar episódios de câimbras noturnas, tente caminhar após o expediente do trabalho, sair com seu cachorro na rua e dar uma volta no quarteirão.

Lembre-se que as cãibras são comuns na gestação, porém não fique sofrendo sozinha. Caso essas dicas não sejam o suficiente, procure seu obstetra para novas opções medicamentosas ou de suplementos para lhe auxiliar com os outros fatores que podem causar cãibra.

Busque sempre qualidade de vida para que a experiência da chegada de seu filho seja o mais positiva possível.

*Colaboração Juliana Satake, fisioterapeuta especializada pela Unicamp e Angela May, fisioterapeuta especializada em saúde da mulher e antroposofia

Referências:

- Young G. Leg Cramps. BMJ Clin. Evid. 2015;.

- Zhou K, West HM, Zhang J, Xu L, Li W. Interventions for leg cramps in pregnancy (Review). Cochrane Database Syst Rev 2015; 8:CD010655.

- Ponnapula P, Boberg JS. Lower extremity changes experienced during pregnancy. The Journal of Foot & Ankle Surgery.2010; 49:452-8.

- Allen RE, Kirby K. Nocturnal Leg Cramps. American Family Physician, 2021; 86(4): 350-5