PUBLICIDADE

Topo

Larissa Cassiano

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Chiclete de menta pode aliviar dor e ansiedade do parto; entenda o estudo

iStock
Imagem: iStock
Conteúdo exclusivo para assinantes
Larissa Cassiano

Larissa Cassiano é médica ginecologista e obstetra, especializada em gestação de alto risco pela USP (Universidade de São Paulo). Fez residência médica na Maternidade de Vila Nova Cachoeirinha (SP), uma das maiores do Brasil, referência em parto humanizado no SUS e em gestação de alto risco.

Colunista do UOL

16/03/2022 04h00

Para muitas pessoas, o parto, independente da via, significa sofrimento. Principalmente se estivermos falando do parto vaginal. Muitos olham para a dor do parto como um sofrimento intenso e até desnecessário, algo que deve ser abreviado ou evitado.

Talvez isso esteja associado com a ideia de que a cesárea pode retirar a dor espontaneamente, assim retirando todo o sofrimento.

Mas será que o parto ou parir é um sofrimento? Não existe nada que possa ser feito para amenizar essa dor? Um dos maiores desafios durante o parto talvez seja a ansiedade diante de algo tão grandioso, mas também desse local de receio sobre a dor, que uma assistência respeitosa e cuidadosa pode mudar tudo.

Recentemente, foi publicado um estudo clínico randomizado que observou pessoas que mascaram chiclete de menta durante a fase ativa do trabalho de parto, como forma de auxílio para a dor e a ansiedade, pois essa atividade ativa uma área do cérebro que está vivenciando a dor e distrai, além de aumentar o foco e a resistência.

Em um primeiro momento, pode parecer estranho, mas ao observarmos os mecanismos envolvidos no parto, podemos perceber que, em alguns momentos, quando o trabalho de parto não evolui por algum motivo, a mudança de foco da gestante pode trazer uma nova perspectiva que auxilia significativamente no processo.

Durante o curso do trabalho de parto, a ansiedade pode ser maior por influência de alguns fatores, como desconhecimento sobre o parto e estresse, consequentemente essa ansiedade pode interferir diretamente no progresso, podendo trazer risco de sangramento, intensificação da dor, experiências negativas, depressão pós-parto e dificuldade para amamentação.

Para criar um ambiente favorável ao parto, terapias não farmacológicas podem ser uma opção como: aromaterapia, exercícios físicos, banho, cromoterapia, massagens, acupuntura, musicoterapia, entre outras possibilidades, incluindo as técnicas de distração, que são formas não farmacológicas realizadas para reduzir a dor e a ansiedade. Neste cenário de redução de foco, muitos foram surpreendidos com trabalhos que vêm falando sobre mascar chiclete de menta.

A pesquisa observou que ao mascar chiclete de menta durante o trabalho de parto houve uma redução na sensação da dor, do estresse crônico, agudo e da ansiedade. Itens muito importantes durante o trabalho de parto em todas as suas fases com algo que já era utilizado com crianças antes de procedimento invasivos.

Nos dados apresentados pelo estudo, houve a comparação feita, por exemplo, entre chiclete de menta e chiclete sem sabor, foi possível observar que a resposta significativa ocorreu com chiclete de menta, mas também observou outra técnica com boa resposta, que foi o uso de óculos de realidade virtual como uma forma de modificar a experiência, trazer conforto e reduzir a ansiedade.

Detalhes que podem parecer simples, mas que se forem implementados na assistência ao parto podem trazer um novo olhar, mais sensível e com a facilidade de ser de baixo custo, baseado em evidências científicas e com poucos efeitos colaterais.

Gostou deste texto? Dúvidas, comentários, críticas e sugestões podem ser enviadas para: dralarissacassiano@uol.com.br.

Referências:

Ebrahimian et al. BMC Pregnancy and Childbirth (2022) Comparison of the efectiveness of virtual reality and chewing mint gum on labor pain and anxiety: a randomized controlled trial https://doi.org/10.1186/s12884-021-04359-3