PUBLICIDADE

Topo

Coletor menstrual traz autoconhecimento sobre o próprio corpo; veja dicas

iStock
Imagem: iStock
Larissa Cassiano

Larissa Cassiano é médica ginecologista e obstetra, especializada em gestação de alto risco pela USP (Universidade de São Paulo). Fez residência médica na Maternidade de Vila Nova Cachoeirinha (SP), uma das maiores do Brasil, referência em parto humanizado no SUS e em gestação de alto risco.

Colunista do UOL

29/09/2020 04h00

Há cerca de dois anos, uma paciente chegou fazendo várias perguntas sobre coletor menstrual e querendo que eu a ajudasse a pensar nos motivos para a troca dos absorventes convencionais pelo coletor. Foi difícil porque, sinceramente, até aquele momento não tinha parado para pensar sobre os benefícios e considerava que apenas a ideia sustentável dele era um benefício.

Foi assim que resolvi estudar sobre coletor e fazer o teste de utilização, menos de três ciclos depois já passei a ser uma defensora do coletor e hoje considero que, ao menos por um período na vida, toda pessoa que menstrua deve utilizar o coletor.

Ele ajuda primeiramente a desmistificar a menstruação, utilizando absorvente nunca temos uma ideia real da quantidade de sangue, com o coletor você passa a perceber que a quantidade, a diferença do sangue durante o período, você terá que se tocar, sentir seu corpo, colo do útero, vagina e é algo muito importante.

Além disso, um dos benefícios que amo: você vai perceber que o odor do sangue menstrual nada tem a ver com o odor que fica no absorvente, aquele cheiro característico é produzido pelo contato do sangue com os materiais do absorvente, não é do sangue e não ocorre quando se utiliza o coletor.

Os coletores são produzidos com silicone medicinal, um material que não causa alergias, além de ser resistente as altas temperaturas para que você utilize água quente para lavar, por exemplo, e para suportar as várias lavagens.

Vou dar 10 dicas que podem ajudar quem está pensando em começar a utilizar o coletor:

1- Antes de começar a utilizar um coletor recomendo que pesquise bastante para saber qual modelo se ajustará melhor, não é possível testar, por isso leia pesquise e converse sobre;

2- Calma, muita calma. Coletores, assim como nas primeiras vezes em que você utilizou absorvente, podem vazar e você pode ter dificuldade para manusear, isso é totalmente normal e aceitável;

3- Teste, principalmente se o desconforto for seu maior problema, dê um tempo, aguarde até o próximo ciclo e reinicie;

4- Se possível, teste a maleabilidade do seu coletor, é importante que ele seja maleável o suficiente para dobrar e rígido o suficiente para ficar fixo, essa junção é fundamental;

5- Teste outras marcas, hoje já conseguimos encontrar diversas marcas no mercado e algumas pessoas que não se adaptam a uma marca se encantam com outras;

6- Para ter uma ideia do volume do seu fluxo faça um teste que pode ajudar. Os absorventes internos de fluxo intenso suportam em média 20 a 25 ml de sangue, já os coletores vão de 25 a 34 ml de sangue, sabendo disso é possível que você tenha uma ideia do tamanho e do tempo de troca do seu coletor;

7- Se você sentir a haste para fora na maioria das marcas será possível cortar um pedacinho pequeno dela;

8- O limite de uso é de 12 horas, mas se seu fluxo for mais intenso, você pode naturalmente lavar mais vezes ao longo do dia;

9- No início, até que se sinta segura, tenha um outro método para te ajudar, absorvente ou calcinha absorvente, o vazamento pode ocorrer e isso te deixará mais segura;

10- Não faça movimentos intensos após a colocação, o coletor forma um vácuo na cavidade vaginal e se depois de ajustado você fizer movimentos bruscos, o coletor pode sair do lugar e vazar.

Espero que este texto te ajude a se inspirar e a pensar um pouco mais sobre utilizar o coletor. Além de sustentabilidade ele pode trazer um autoconhecimento incrível.

Gostou deste texto? Dúvidas, comentários, críticas e sugestões podem ser enviadas para contato@larissacassiano.com.br.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.