PUBLICIDADE

Topo

Katleen da Cruz Conceição

Entenda a diferença entre cosmético e dermocosmético e como eles atuam

iStock
Imagem: iStock
Katleen da Cruz Conceição

Médica dermatologista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia do Rio de Rio de Janeiro e especialista pela UFF (Universidade Federal Fluminense), é chefe do Ambulatório de Dermatologia Para Pele Negra da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro e do 1º Setor de Dermatologia Para Pele Negra do Grupo Paula Bellotti. Membro da Skin of Color Society e da Sociedade Brasileira de Laser, Katleen esteve à frente do Ambulatório de Dermatologia na Pele Negra e do Ambulatório de Acne e Peeling do Hospital Federal de Bonsucesso (RJ), onde adquiriu muita experiência com peeling e uso de lasers, principalmente na pele negra.

Colunista do UOL

07/12/2020 08h59

O assunto de hoje é cosméticos e dermocosméticos. Se você também tem alguma pergunta, pode me enviar pelo Instagram (@vivabem_uol) ou pelo email vivabemuol@uol.com.br.

Para começar, vamos diferenciar um e outro.

Cosmético possui ação somente nas primeiras camadas da pele e de forma imediata. Exemplo: corretivo para olheiras.

Dermocosmético possui ativos farmacológicos na composição, podendo tratar manchas, rugas e flacidez, por exemplo. Exemplo: ácido glicólico na concentração de 20%.

Os dermocosméticos tratam a fim de reduzir ou eliminar o problema a longo prazo, os cosméticos possuem uma ação imediata.

Os dermocosméticos são prescritos pelos dermatologistas e têm ação na doença da pele. Já os cosméticos são utilizados para uma ação mais imediata, como camuflar uma olheira ou realizar um efeito Cinderela na pele. Lembrando que os dois podem ser aliados para a saúde a pele.

Os dermocosméticos possuem os ativos em maior concentração, por exemplo para tratamento da acne utiliza-se ácidos em concentrações maiores para haver uma renovação celular, diminuição da oleosidade e melhora da textura.

Já entre os cosméticos pode-se usar ácido em baixas concentrações, apenas para dar um aspecto de disfarçar a porosidade da pele, não atuando realmente nas glândulas sebáceas, por exemplo.

O ideal é realizar visitas periódicas a um dermatologista experiente para avaliar o seu tipo de pele e os produtos adequados para ela.

Deve-se primeiro saber qual o seu tipo de pele, idade de atuação do produto, validade, horário de uso, veículo do produto (por exemplo, pele oleosa deve usar sérum, gel creme ou oil free), local de ação do produto e avaliar se há algum componente ao qual você é alérgico.

Cosmético orgânico

Os cosméticos orgânicos devem possuir, no mínimo, 95% de matérias-primas certificadas como orgânicas. Os 5% restantes podem ser compostos por água e por outras matérias-primas naturais. Todo produto orgânico é fabricado dentro dos princípios da sustentabilidade, pois é ecologicamente correto e socialmente justo. Seus resíduos não prejudicam a natureza.

Os produtos orgânicos são produzidos sem conservantes ou fragrâncias artificiais, sem parabenos ou silicone, sem ingredientes geneticamente modificados ou irradiados, derivados de petroquímica ou animal, sem metais pesados, além de não passar por nenhum teste em animais.

Acredito que muitas pessoas irão optar cada vez mais por esses produtos, lembrando que eles devem ser acrescentados gradativamente até o paciente estar seguro a este estilo de vida em cuidar da pele.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.